quarta-feira, 3 de março de 2010

HOSPITAL BENEFICENTE PORTUGUÊS DO AMAZONAS


Foi inaugurado em 17 de dezembro de 1893, contou com a presença ilustre do governador Eduardo Ribeiro, situa-se na antiga estrada Corrêa de Miranda, atual Avenida Joaquim Nabuco, centro antigo de Manaus, o primeiro Diretor Clínico foi o Dr. Jonathas de Freitas Pedrosa, mais tarde foi governador do Amazonas. Tem como objetivo “servir não só a colônia portuguesa, mas também para todos aqueles que aqui labutam, prestando socorro aos seus associados e benefícios a pessoas estranhas à sociedade, oferecendo leitos de caridade dentro das suas disponibilidades financeiras”, conforme o sitio  http://www.hospitalportuguesam.com.br/ 

Tenho uma ligação muito grande com este hospital, faz parte do meu universo deste a minha tenra idade. Era o lugar preferido pelos meus familiares e amigos para o tratamento de saúde.

O meu saudoso pai falava que foi onde ele mandou retirar o “sexto” dedo que ele tinha na mão direita, em decorrência dessa doença (polidactilia), passou muitos vexames, não funcionava aquela brincadeira de criança: mindinho, seu-vizinho, pai-de-todos, fura-bolo e cata-piolho, sobrando sempre um dedo sem apelido; odiava ser chamado de “vinte e um”. Como sabemos o sinal da cruz é feito com a mão direita, o papai sempre fazia com a mão esquerda, apesar dos olhares desabonadores das senhoras católicas, apostólicas e romanas, da Igreja Matriz.

Foi também neste local, que ele fez uma urgente cirurgia de hérnia inguinal (virilha) – passou anos e anos administrando o problema, chegou um momento que ela estrangulou, correu para o hospital e foi operado com urgência, com a presteza e grande profissionalismo do seu amigo e médico Dr. Arlindo Frota.

O Alexandre Soares, o meu filho mais velho, ao completar um ano de idade, teve que ser operado com urgência neste hospital, com o mesmo problema do seu avô (hérnia inguinal estrangulada), o seu aniversário foi “comemorado” dentro do hospital!

No pronto-socorro do hospital, existia um enfermeiro amigo do papai (o meu velho era conhecido norte/sul/leste/oeste de Manaus), toda a nossa família era encaminhada para lá quando o assunto era tomar injeções, submeter a pequenos curativos e sarjar tumores, não quero nem mais lembrar, o cheiro de éter ainda está no ar!

Este prédio é majestoso, a fachada principal deixa qualquer um de queixo caído, com uma mistura de estilos, pintado nas cores azul celeste e branco, são dois andares com tetos muito altos e pisos originais em madeira, para quem gosta de arquitetura da Manaus antiga é um prato cheio!

Lembro do grande artista plástico Álvaro Páscoa, era amigo do peito do papai, o dois fizeram um magnífico trabalho de recuperação da porta principal do hospital, foi um trabalho de mestre!

No local existem inúmeras mangueiras, serviram frutos para várias gerações (inclusive a minha), toda a manhã corria bem cedo da manhã para apanhar Manga Rosa, uma beleza!

Postar um comentário