quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

SECOS & MOLHADOS

É NATAL – Tenho uma amiga que declarou no Face que não comemora o Dia de Natal, em decorrência do apelo comercial e do consumismo exagerado das pessoas, ela é uma pessoa religiosa e, comemora todos os dias a vinda e os ensinamentos de Jesus. Outro colega, um gozador de plantão, disse que ainda não incorporou o “espirito natalino”, pois ainda permanece com o “espirito de porco”. Credo! No meu caso, somente hoje o coração amoleceu e, logo ao acordar fiz as minhas orações, coloquei umas musicas de natal instrumental de cavaquinho, além de começar a pensar na vida.

Ao ler o jornal A Crítica, edição de hoje, achei muito oportuna o editorial “Em nome de Deus os homens produzem conflitos e guerras. Em nome de Deus criam religiões e em nome de Deus promovem divisões, estabelecem que está salva e quem está condenado. Fazem o contrário do que Deus e seu filho ensinaram. Querem o poder e a fama. Determinam preços em dinheiro para as benções”.Pelo sim, pelo não, desejo a todos os meus amigos de perto e de longe, leitores do BLOGDOROCHA e Facebook, um dia repleto de paz, alegria e pensamentos voltados para Jesus!

LIXO, MUITO LIXO NAS RUAS DE MANAUS - A nossa cidade foi escolhida como um dos melhores destinos turísticos do Brasil - tudo por causa do calor humano dos manauaras, da natureza, centro histórico e cultura. Uma das coisas que me deixa muito triste é ver as pessoas mal-educadas jogando lixo as ruas! 

Acho que os nossos Edis deveria copiar a lei que está em vigor no Rio de Janeiro, onde é aplicada multas para os infratores que jogam lixo nas ruas!
Vamos lá Vereadora Rosi Matos, faça logo essa lei!

CARBAJAL - Tenho um amigo muito legal, ele gasta uma grana preta com o aluguel, funcionários e músicos, além de gostar e investir muito na cultura da nossa cidade -  acho que não liga muito para o lucro financeiro, pois tudo que faz é com amor, sendo o seu maior lucro é ver as pessoas felizes no seu Bar - ele é o Carbajal Gomes Feliz Natal!

PANETONE - Um cara italiano chamado de Tone, padeiro dos bons, resolveu inovar e, fez um tipo de pão todo especial para o Natal - vinha com várias frutas cristalizadas, a moda pegou - quando alguém perguntava que pão era aquele, as pessoas respondiam: Panetone! O Pão do Tone!

RECONHECIMENTO – O Jornal A Crítica, edição de hoje, mostra as dez melhores pessoas que fizerem um excelente trabalho em 2014 – a nossa amiga Ana Cláudia Soeiro Soares, filha do saudoso Armando Soares, foi reconhecido o seu excelente trabalho em conjunto com o seu marido Roberto, na administração do Bar do Armando, no período da Copa do Mundo, onde acolheu centenas de turistas, disponibilizando musica ao vivo, cervejas bem geladas, bolinho de bacalhau e telão para assistirem todos os jogos. Parabéns!

KITGUARANÁ – Dei um pulo até a Feira da Eduardo Ribeiro, parei numa barraca de suco de guaraná – por lá existem uns kits pra lá de sugestivos: Super Bernardão, Arrasa Quarteirão, Super Viagra e Ricardão! Mandei fazer um especial, sabe como é que é, mano velho, a idade está pesando e, estou pedindo uma ajuda a “Mae Natureza”, o camarada colocou os seguintes ingredientes: amendoim, castanha do Brasil, catuaba, mirantã, ovo de codorna, granola, mel, limão, guaraná em pó, água e bastante gelo. Tomei numa boa, acho que está fazendo efeito colateral, pois a barriga começou a dar alguns sinais! Eu, hein!


HABIB´S - ontem, resolvi comer algumas esfirras de carne e, lembrei de uma entrevista do português Aberto Saraiva, um cara que veio ainda muito jovem para o Brasil, para ajudar o seu pai numa pequena padaria e estudar medicina. O seu genitor foi morto por um assaltante, jogando por terra todo o seu projeto. Deixou a faculdade no segundo período e, meteu a mão na massa. Os negócios iam mal, teve vontade de fechar a padaria, mas, motivado pelas palavras do seu genitor que sempre falava para não desistir nunca, ele resolveu abaixar trinta centavos o preço do pão da Tabela da SUNAB, disparando nas vendas, desbancando grandes comerciantes que ficavam na mesma rua em São Paulo. Certo dia apareceu em seu estabelecimento um senhor de setenta e cinco anos idade, pedindo emprego, o velho era Expert em comida árabe, o empresário era visionário e contratou na hora e, bamburrou. A pedido de um amigo árabe colocou o nome de Habib´s que significa amigo! Hoje, o luso brasileiro possui 400 restaurantes espalhados pelo Brasil, oferecendo produtos de qualidade e a preços baixos!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

OS HOMENS DA LEI


Antigamente era difícil ter amizades com Advogados, Delegados de Polícia ou Defensores Públicos, muito menos com um Juiz de Direito e, nem pensar com um Desembargador, pois eram raros e ficavam num pedestal, bem longe dos pobres mortais – com o tempo, as faculdades de Direito abriram em cada esquina, formando pencas de advogados e, com os concursos públicos, possibilitando muitos deles, ainda muito jovens, começarem a galgar uma carreira jurídica, colocando bons e também péssimos profissionais no mercado.

Para exemplificar, cito três casos em que tive a oportunidade de conviver com eles:

1. Estudante de Direito - iniciei os meus estudos de Direito na Faculdade UNIP, por lá fiquei dois anos, onde fiz muitas amizades. Numa bela sexta-feira, a minha turma resolver tomar umas e diversas na Praça do Caranguejo, no Conjunto Eldorado – na hora de pagar a conta, um colega “filhinho de papai” criou a maior bronca, discordando do valor cobrado pelo garçom – os ânimos ficaram exaltados e, num acesso de fúria, ela derrubou tudo o que estava em cima da mesa, batendo com força com a mão e direita e, largou o verbo:

- Eu sou um estudante de Direito e exijo respeito! – gritando para todo mundo ouvir.

- Grande merda! – falou o garçom bem alto, provocando risos dos frequentadores.

No ano seguinte, pedi a minha transferência para a UNINORTE, começando do zero os meus estudos, porém, pedi o trancamento da minha matricula no período seguinte.

Não sei se aquele estudante chegou a concluir os seus estudos, também não sei se advoga ou passou em algum concurso, talvez seja um homem da lei – uma coisa é certa: por o cara ser abusado desde novinho, deve estar aprontando todas.

2. Delegado de Polícia – ainda muito jovem fiz um curso preparatório para o vestibular no antigo Colégio Einstein – eu era da ala da bagunça, mas gozava da amizade de alguns professores. Um dos meus colegas tinha “bala na agulha”, morava numa bela casa e o seu pai era dono de embarcações e postos de gasolina – o cara era mimado, tinha tudo do bom e do melhor. Passamos no vestibular, ele foi para a “Jaqueirona”, fazer Direito, enquanto eu fui para a Faculdade de Estudos Sociais.

Se formou e passou no concurso para Delegado de Polícia. Num belo dia, ele estacionou bem perto de mim, estava a bordo de uma moto de mil cilindradas, no Amazonas Shopping, quando o reconheci fui falar com ele:

- E ai cara, como está a vida! - perguntei numa boa.

- Cara, não te conheço, não! – respondeu com ar de desprezo.

O homem da lei usou e abusou das suas prerrogativas, aprontou todas, fez tanta besteira que foi até afastado de suas funções, respondendo processos e mais processos na Corregedoria.

Certo dia, ele me procurou para comprar um televisor de plasma, pois trabalhava numa empresa do ramo de eletroeletrônico – o cara me reconheceu, mas como já estava queimado na polícia, ficou todo pianinho comigo. O atendi muito bem, porém, com um jeito de quem nunca tinha visto na minha vida. Pois é, ele se achava o He-Man!

3. Juiz Federal – frequento faz muito tempo o Bar do Armando, no Largo de São Sebastião, onde fiz parte da diretoria da Banda da BICA - tive a oportunidade de conhecer muitas pessoas, incluindo jornalistas, poetas, escritores, advogados, defensores e juízes. Alguns deles gostavam de ostentar o cargo que ocupavam, andavam até com seguranças – tinha um deles que eu sabia que era funcionário da Justiça da Federal, não quis saber qual o seu cargo e, ele não gostava de falar sobre isso.

Com a morte do Armando, a grande maioria dos antigos “biqueiros” deixaram de frequentar aquele estabelecimento etílico. Vez e outra me encontro com aquele servidor federal no Bar Caldeira – ele sempre me cumprimenta, sorri e gosta de me abraçar, isso é um belo gesto da nossa antiga amizade de mesa de bar.

Recentemente, precisei entrar com um processo na Justiça Federal e, lembrei do amigo para uma orientação – para minha surpresa, fui descobrir depois de logo tempo que ele era Juiz Federal – um homem da lei federal! Pense num cara humilde, de fala mansa e amigo de todos, muito diferente de alguns de seus pares que acham "Deus".

Pois é, mano velho, o nosso Klain é o máximo!


É isso ai.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

DIA DA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO



Hoje é feriado no nosso Estado, com a comemoração da nossa padroeira (santa protetora) do Amazonas, a Nossa Senhora da Conceição – a imagem da santa chegou a Manaus no século 17, sobreviveu a um incêndio e, em 1950 foi considerada a nossa santa maior – ela é uma invocação a Maria, mãe de Jesus – é uma tradição brasileira montar a Árvore de Natal e enfeitar a casa no dia de hoje. 

Eu gostava de brincar com os colegas de trabalho, principalmente da ala dos evangélicos, sempre falava que nos feriados católicos eles deveriam trabalhar, pois eram explicitamente contra os santos e santas e, afirmavam que pecamos ao adorar imagens, mas, nos dias santos eram os primeiros a curtir a folga no trabalho – brincadeiras a parte, o Brasil é um Estado laico, com liberdade de crença, proteção e respeito religioso.


A Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, fica no Largo da Matriz, no centro antigo de Manaus, segundo o historiador Abrahim Baze “Já em 1695, no entorno da Fortaleza de São José da Barra do Rio Negro, era a vez dos padres carmelitas construírem a Matriz de Manaus, naturalmente dedicada ao louvor a Nossa Senhora da Conceição. Construída no Largo da Trincheira, hoje Praça 15 de Novembro. Demolida em 1781 e erguida outra no mesmo local, embora não tenha sido concluída. Novamente demolida por ordem do governador Manuel da Gama Lobo de Almada, que reedificou outra maior no mesmo lugar. Tragédia do Incêndio - Ocorrido no dia 2 de Junho, o que a reduzia a cinzas, dessa forma foi nomeada uma comissão central, com agentes nas vilas e freguesias do interior para levantarem recursos para a nova construção. O surgimento da nova Igreja - foram iniciados em 10 de Julho de 1858, tendo sua pedra fundamental lançada às sete horas da manhã do dia 23 de Julho de 1858, era Presidente da Província Francisco José Furtado”.

Aproveito a oportunidade, para desejar muitas felicidades a minha mais antiga vizinha do Conjunto dos Jornalistas, a Dona Conceição, aniversariante do dia. Ela é uma católica fervorosa, coordenadora de um Grupo de Orações e da Novena de Natal em Família.

Parabéns Conceição! Vida longa!Viva Nossa Senhora da Conceição, Viva!


sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

BLOGDOROCHA: A ROTUNDA DA PRAÇA DA POLÍCIA

BLOGDOROCHA: A ROTUNDA DA PRAÇA DA POLÍCIA: Ao abrir o álbum de família, fiquei a observar atentamente uma fotografia em preto e branco, acredito que deva ser do início da década...

BLOGDOROCHA: JARAQUI, O JARACA PARA OS MANOS DE MANAUS

BLOGDOROCHA: JARAQUI, O JARACA PARA OS MANOS DE MANAUS: O Jaraqui tem um nome complicado, conhecido no meio científico como “Semaprochilodus”, para os meus manos caboclos é apelidad...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

O TERÇO DO PORTO DAS PEDRAS


Na minha juventude, em 1977, passei uma temporada no Rio de Janeiro, morava na Rua Carlos de Carvalho, no centro, próximo ao Hospital do Câncer e do Hospital da Cruz Vermelha, morava com uma família de amazonenses, comandada pelo casal Senhor Carvalho e Dona Nazaré – estava em tratamento de saúde, tentando resolver um problema no meu ouvido esquerdo, uma otite média com o tímpano perfurado, que me acompanhou desde criança – foi ai que começou a história do terço da fotografia.

Venho de uma família que professa o catolicismo, com a minha avô paterna, a Dona Lídia, uma cearense católica, apostólica e romana – ela ficava o tempo todo com um terço nas mãos e, desde pequeno eu era levado por ela a frequentar as missas na Matriz Nossa Senhora da Conceição. A minha mãezinha, a Dona Neli, também era uma católica fervorosa e, sempre estava rezando o seu terço, aliás, possuía vários deles.

Não tive o tratamento adequado no Rio, mas, resolvi ficar por lá por um tempo, pois o meu irmão Henrique, veio de São Paulo e ficou morando comigo, foram tempos bons onde guardo boas lembranças.

A Dona Nazaré aconselhou-me visitar o bairro Porto das Pedras, na cidade de São Gonçalo, para receber uma graça, pois ali existia uma enorme romaria ao Santuário Jesus Crucificado, onde no dia 26 de Janeiro de 1968 aconteceu um milagre, saindo das chagas de Jesus um líquido vermelho, em plena missa, o que foi constatado por todos fieis ali presentes..

O acesso era muito difícil, mas, consegui chegar ao destino, onde visitei a igreja e, constatei inúmeros relatos de curas pela fé – não cheguei a alcançar a graça, pois a minha fé sempre foi um tanto precária, apesar da minha criação no catolicismo.

Entrei numa lojinha e, comprei três terço, para presentear a Dona Nazaré, a minha mãe Nely e uma namoradinha que tinha deixado em Manaus – ele era imenso, com bolinhas em madeira.

O terço da minha mãe permaneceu com ela até a sua morte, depois, ficou em minha companhia, apesar de ser um católico pouco praticamente e, também não sei rezar o terço, no entanto, guardo para rezar o Pai Nosso todo santo dia e, lembrar da minha mãe, do Porto das Pedras e do Rio.

Caso a minha netinha, a Maria Eduarda continue na religião católica quando crescer, farei questão de dar-lhe de presente quando eu começar a sentir o peso da idade. É isso ai.