terça-feira, 28 de março de 2017

BLOGDOROCHA: DISTRITO INDUSTRIAL DE MANAUS & FRANCISCO PEREIRA ...

BLOGDOROCHA: DISTRITO INDUSTRIAL DE MANAUS & FRANCISCO PEREIRA ...: O Distrito Industrial foi planejado para abrigar somente as indústrias, mas cresceu tanto, acabou virando um bairro.  O seu aniversári...

segunda-feira, 27 de março de 2017

A ARBORIZAÇÃO DE MANAUS – PASSADO & PRESENTE




A cidade de Manaus, no passado, era muito bem arborizada, como mostra as fotografias antigas – no presente, com o crescimento descontrolado, ficou praticamente “pelada”, porém, existe uma luz no fim do túnel, com projetos sérios por parte do governo municipal e da ação da população e dos movimentos sociais, para tentar reverter essa situação, tornando-a, novamente, verde.

O Estado do Amazonas possui uma extensão de 1,5 milhão de km2, enquanto Manaus tem apenas 11.400 km2 – a cidade fica no meio de uma imensidão de floresta tropical – um pingo no oceano de mata!

Até o final da década de setenta, a cidade terminava nos arredores do Boulevard Amazonas (atual Avenida Boulevard Álvaro Maia) -, era pequena e pacata, com praças e avenidas bem cuidadas e arborizadas, além dos moradores terem a preocupação em cultivar plantas frutíferas em seus quintais.

O verde imperava em toda a sua extensão, com as ruas cheias de mangueiras, benjaminzeiros, entre outras – a cidade era bela, bem cuidada, com praças e jardins sempre em manutenção, com as árvores sendo podadas regularmente.

Na belle époque (época feliz) as pessoas usavam paletó e gravata no seu dia a dia, pois o clima era mais ameno, com poucos automóveis e muita arborização.


A única via que conserva até hoje a arborização em toda a sua extensão, chama-se Avenida Getúlio Vargas, onde estudos revelaram que mesmo com o pesado fluxo de veículos, ela possui um clima mais ameno do que a Rua Duque de Caxias, por ser mais arborizada.

Segundo o IBGE (2010), a cidade de Manaus, conta apenas com 25,1% de arborização urbana de seus espaços públicos, muito aquém da cidade que ficou em primeiro lugar, Campo Grande, que apresenta 96,4% de arborização.

Por que é importante a arborização numa cidade – segundo os estudiosos, ela contribui para a redução de ruídos, altera para melhor o microclima e o  campo visual, além da melhoria do hábitat da fauna silvestre, assim como a recreação e lazer urbanos.

Podemos afirmar que, o bem estar do homem citadino está ligado ao componente vegetal urbano e que o plantio de árvores visa atender as necessidades humanas – influenciando até na escolha do individuo quanto ao novo lugar para viver, pois dá preferência aos locais com maior componente arbóreo.


A Prefeitura de Manaus, possui um projeto chamado “Arboriza Manaus”, com o intuito fazer intervenções de plantio de mudas de espécies nativas e exóticas em áreas públicas, tais como canteiros centrais, passeios públicos, praças, parques, áreas verdes, entre outras, englobando as seis zonas da cidade, sendo o plantio obedecendo aos padrões estabelecidos pelo Plano Diretor de Arborização Urbana de Manaus.

Em 2016, foram plantadas quatorze mil mudas, com planos para mais dez mil até o final de 2017.

Em nada adianta esse trabalho se não houver o envolvimento da comunidade, com ações de sensibilização juntos aos alunos da rede pública de ensino, dos líderes comunitários, das famílias, dos empregados e patrões, além do apoio dos movimentos sociais.

A falta de participação comunitária nos programas de arborização gera prejuízos como o “vandalismo”.

Acompanho, como mero expectador, a arborização de toda a extensão do canteiro central da Avenida Autaz Mirim, na zona Leste da cidade – são centenas de mudas plantadas, em 2016 – passado quase um ano, pouquíssimas foram arrancadas ou quebradas – isso mostra o grau de engajamento da comunidade.

Com a difusão das redes sociais, principalmente, do Facebook, foi possível criar grupos dos mais diversos possíveis, como o de defesa do meio ambiente e de reflorestamento das áreas degradadas de Manaus.

Muitas pessoas estão procurando o “Viveiro Municipal”, situado na Alameda Cosme Ferreira, dentro das dependências do Instituto Federal de Educação (IFAM), onde são entregues para cada pessoa até cinco mudas por semana, de espécies arbóreas, frutíferas e ornamentais.

Com a destruição do meio ambiente, em nome do “progresso”, muitas áreas protegidas por lei estão sendo desmatadas – a Prefeitura Municipal de Manaus, através da SEMMAS esclarece à população:

“Árvores que se encontram em “Áreas de Preservação Permanente” (APP’s), como nascentes, córregos e lagos e os remanescentes de vegetação nativa, não devem sofrer qualquer tipo de poda, corte ou extração, a menos que apresentem riscos à comunidade, necessitando sempre a autorização expressa do órgão ambiental municipal ou estadual”.

Todos em defesa da arborização urbana! Esse é o lema - espero que na próxima pesquisa do IBGE, possamos estar com um índice bem alto de arborização e, num futuro não muito distante, o verde possa imperar, novamente, em nossa cidade. É isso ai.

  Fontes:



Fotos: A Crítica (coloridas)


BLOGDOROCHA: A JUTA

BLOGDOROCHA: A JUTA: A juta (Corchorus Capisulares) é originária da índia e Bangladesh, foi introduzida no Brasil em 1930, através de uma missão japonesa, chef...

quinta-feira, 23 de março de 2017

Lançamento da Amazon.com: E-book ZÉ MUNDÃO, de J. Martins Rocha



Em parceria com a minha ex-mulher, colocamos no mundo três filhos;

Plantei várias árvores;
Escrevi o primeiro E-book: Zé Mundão (outros três estão no prelo, mesmo que ninguém compre ou leia!).
Estou realizado!
Obrigado, meu Senhor!


Clique na capa, para ler a introdução, Grato



O livro surgiu em decorrência de centenas de postagens que publiquei no Blogdorocha – no endereço eletrônico jmartinsrocha.blogspot.com, editado desde 2006. Não sou jornalista, historiador ou pesquisador, escrevo de forma amadora…
AMAZON.COM


CurtirMostrar mais reações
Comentar

Comentários
Jose Rocha Pois é, ninguém de Manaus deu valor ao livro, aliás, não sei se tem valor para nosotros!. Em decorrência disso, foi aceito somente no exterior, onde pude publica-lo, digitalmente, pela Amazon.com, nos Estados Unidos, Japão e na Europa (a dita globalização), pois ficou disponívell solamente para a venda aos gringos, ao preço de cinco dólares. Da Amazônia para a Amazon. Grande merda!
CurtirResponderRemover prévia13 minEditado
Marcelo Dantas Posso atestar uma coisa: o Manual do Canalha, do Simao Pesdoa NUNCA achei em Manaus, eis q faco uma viagem ao Rio de Janeiro, e entro em uma pequena livraria no 5o. andar do shopping Rio-Sul, no bairro de Botafogo, isso no início dos anos 2000, e o q ...Ver mais
DescurtirResponder142 min
Jose Rocha Correção: O Coronel Roberto, editor do blog catadordepapeis aceitou a missão de fazer a revisão e o livreiro Celestino Neto fez de tudo para publica-lo em Manaus, além do saudoso Rogelio Casado que ria ao ler os primeiros capítulos e e da Graca Silva que gostava muito das presepadas do Zé Mundão!
CurtirResponder128 minEditado
Jose Rocha A foto da capa é da Ponte Romana I ou Primeira Ponte, onde o Zé, seus irmãos e amigos pulavam dentro do Igarapé de Manaus! Tempos bons!

terça-feira, 21 de março de 2017

CENTENÁRIO DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DO AMAZONAS - IGHA

Foi fundado em 25 de março de 1917, considerado de utilidade pública pela Lei Estadual nº 897, de 24 de agosto de 1917, e pela Lei Municipal nº 1.071, de 22 de outubro de 1973, sendo, dessa forma, tutelado e financiado pelo Estado do Amazonas e pelo município de Manaus.

Situa-se na Rua Bernardo Ramos, 117, com fundos para a Rua Frei José dos Inocentes, centro antigo de Manaus, telefone 92 3622-1260 - o local é chamado por muitos como “A Casa de Bernardo Ramos” – Bernardo de Azevedo da Silva Ramos (1858/1931) foi o fundador, organizador e primeiro presidente. O Prédio foi tombado através do Decreto no. 5.218, de 03-10/1980. O governo do Amazonas, através da Biblioteca Virtual do Amazonas, busca resgatar todo o acervo do IGHA, constante de estudos amazônicos de Geografia, História, Arqueologia, Sociologia, Antropologia Cultural, Linguística e ciências correlatas - fonte para boa parte da historiográfica do Amazonas.

Possui um quadro de 50 poltronas com os seguintes patronos: Adolpho Ducke/Agnello Bittecount/Alberto Rangel/Alexandre Ferreira/Alexandre Von Humbolt/Alfredo da Matta/Alfred Wallace/Ambrósio Brandão/André Araújo/Gonçalves Dias/Barão de Sant´Anna Nery/Bernardo Ramos/Cândido Rondon/Carl Von Martius/Constantino Tastevin/Curt Nimuendaju/Roquette-Pinto/Ermanno Stradelli/Euclides da Cunha/Francis Castelau/Adolpho de Vernhagen/Gabriel de Souza/Gastão Cruls/Gaspar da Madre de Deus/Jean Lery/Jean Agassiz/Faria e Souza/Barbosa Rodrigues/Johann Von Spix/Capistrano de Abreu/Francisco Lisboa/Joaquim Nabuco/José de Anchieta/Araújo Lima/Barão do Rio Branco/José dos Santos Inocentes/José Veríssimo/Karl Steinen/Lobo d´Almada/Manuel da Nóbrega/Paul Le Cointe/Pero de Magalhães Gandavo/Raimundo Morais/Nonato Pinheiro/Rodolpho Garcia/Romualdo Seixas/Silvio Romero/Kock-Grunberg/Vivaldo Lima/Waldemar Pedrosa. 

A atual presidente é a professora Marilene Correa.

O Museu Crisantho Jobim (pertence ao IGHA) funciona de 2ª. a 6ª. das 13:00h as 17:00h – para quem mora em outras plagas, basta acessar o http://www.youtube.com/watch?v=QGv-LkWHk2A  – imagens de Milton Paredes, reportagem e edição da Rúbia Balbi.

No acervo do museu, o visitante encontrará peças históricas, etnográficas e arqueológicas, numas das salas estão todas as poltronas originais do Teatro Amazonas, confeccionadas em madeira e palinha-da-índia, noutra sala está o baú do pesquisador e antropólogo alemão Theodor Koch-Grünberg - escreveu diversos livros sobre o povo indígena da Amazônia, e é considerado por muitos a grande fonte da obra 'Macunaíma', de Mário de Andrade - fez diversas expedições pela Amazônia até morrer, em 1924, de malária - na peça de mobiliário estão blocos de anotações, algumas roupas e instrumentos de trabalho do cientista.

As pessoas de bem que construíram o IGHA e os atuais sócios efetivos – merecem todo o nosso respeito e consideração, pois da grandeza das suas ações contribuíram enormemente para a Amazônia brasileira continuar brasileira, e intacta e assim será entregue aos nossos pósteros.

segunda-feira, 20 de março de 2017

BLOGDOROCHA: INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DO AMAZONAS

BLOGDOROCHA: INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DO AMAZONAS: Ele é conhecido cariosamente pelos seus estudantes como IEA, constituindo-se num dos mais tradicionais colégios de Manaus e, no próxim...

sexta-feira, 17 de março de 2017

BLOGDOROCHA: ASILO DOUTOR THOMAS

BLOGDOROCHA: ASILO DOUTOR THOMAS: Esta importante instituição filantrópica está localizada em Manaus, na Rua Dr. Thomas, 798, no bairro Nossa Senhora das Graças, com acess...

quarta-feira, 15 de março de 2017

BLOGDOROCHA: ÁUREO NONATO

BLOGDOROCHA: ÁUREO NONATO: Nasceu em Manaus, no bairro de São Raimundo, em 1º de Abril de 1921 e, faleceu no dia 23 de Março de 2004, no Instituto do Coração de Ma...

segunda-feira, 13 de março de 2017

BLOGDOROCHA: INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT DO AMAZONAS

BLOGDOROCHA: INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT DO AMAZONAS:   O Instituto Benjamin Constant (ICB) foi concebido e construído pelo engenheiro militar e governador do Estado do Amazonas, o Dr. Edu...