sexta-feira, 23 de maio de 2014

O MURALISTA

 O Muralista é um termo conhecido no meio da “Politicalha”, como aquele que “fica em cima do muro”, descendo no momento certo, na hora exata e, declarando “o seu apoio” aquele que vai concorrer ao cargo de governador, quando tiver “cem por cento” de certeza que vai ganhar as eleições, pois ele não possui a menor vocação para oposição, sempre foi governista desde criancinha.

Não é um “Homem de Partido”, pois muda ao sabor dos ventos, onde o governador ou o prefeito estiver - ele vai dar um jeito de pular para ninho da situação – também não gosta da ética e da moral, principalmente, dos moralistas - não respeita pobres e desvalidos (somente nas eleições) - é um rato gordo, rouba até o dinheiro da merenda escolar das criancinhas pobres da periferia – o negócio dele é “se dar bem em quaisquer situação”.

Ele adora “mamar nas tetas do governo”; indicar amigos, parentes e aderentes para os cargos comissionados das secretarias do governo; indicar empresas para participarem e, ganharem todas, principamente as mais polpudas licitações do Estado, além de gostar de “fazer um esforço concentrado” para liberar verbas para os prefeitos do interior e, influenciar na administração desses “fantoches” para encher cada vez mais o seu cofre pessoal.

Na eleição para governador do Amazonas, em 2014, está deixando o Muralista numa situação um tanto desconfortante, pois ainda não possui a absoluta certeza quem vai ganhar – a sua estratégia é deixar para descer do muro e decidir o seu apoio, somente minutos antes do apito final, ou seja, no dia da Convenção do seu Partido, quando irá as rádios, TVs e jornais, declarar se segue a cartilha dos seus confrades ou contraria a tudo e a todos, para o seu próprio bem, é claro!

Ele estava sentado em cima do muro, conversando com outro muralista, mal ele sabia que um microfone da Rádio Cipó tinha captado tudo:

- Mano, que situação escrota é essa que estamos passando, já imaginou se apoio o Dudu, o preferido nas pesquisas e, ele perde para o Professor! Se isso acontecer, estarei na letra Efe! Caso contrário, eu apoie o Zé e, ele perder, mesmo estando com  a caneta e a máquina do Estado nas mãos, o Cadeirudo vai me chamar de“Traíra”, ai o bicho vai pegar para o meu lado, pois ficarei quatro ou oito anos sem nenhum peitinho para chupar no governo dele!

É, mano velho, a situação do Muralista não está nada tranquila – ele está correndo da sala para a cozinha e vice versa - gastando uma grana com pesquisas eleitorais; não consegue dormir direito, pois passa o dia e a noite toda em reuniões, além de ler todos os jornais e assistir a todos os programas de televisão, tudo para ter a certeza de quem vai ganhar essa e, decidir o seu apoio!

Mas, afinal, quem é esse Muralista? É fácil, basta acompanhar as entrevistas dele, sempre está desviando das perguntas diretas. As respostas são sempre vagas: Não sei/Pode ser/Ainda não decidi/O Partido ainda não decidiu/Vou esperar mais um pouco/Estou analisando o cenário político/ – aliás, existe muitos, basta observar o comportamento atual deles! É isso ai.
Postar um comentário