sexta-feira, 23 de abril de 2010

MANAUS - SEXTA-FEIRA, 23 DE ABRIL DE 2010


Os técnicos da Prefeitura de Manaus estavam babando de vontade de colocar chão abaixo, a fachada do prédio histórico localizado na esquina da Avenida Sete de Setembro com a Rua Marechal Deodoro, única parte que sobrou do incêndio ocorrido na segunda-feira passada. Houve a intervenção do Dr. Robério Braga, Secretário Estadual de Cultura, conseguiu a autorização do Prefeito Amazonino Mendes, ficando com a responsabilidade da preservação da fachada por parte do governo do Amazonas. Os engenheiros farão a instalação de escoras para a sustentação das paredes e fachadas, será um projeto semelhante ao que fizeram no prédio do Cabaré Chinelo, centro antigo de Manaus.

Comemora-se o dia de São Jorge, patrono de vários países, dos escoteiros (hoje é dia de sempre alerta!) e, extra-oficialmente, da cidade do Rio de Janeiro (a Igreja de Quintino deve estar lotada, os cariocas possuem uma grande devoção pelo santo). O santo guerreiro foi um Tribuno Militar dos romanos, porém, defendia a fé em Jesus Cristo, isto lhe rendeu muitas perseguições e torturas, foi degolado em 23 de abril de 303, a mando do Imperador Diocleciano. O bairro de São Jorge, localizado em Manaus, sempre foi ligado diretamente ao sincretismo religioso, fiéis de todas as religiões homenageiam o santo, tanto os da ala da Umbanda, do Candomblé, do Espiritismo, quanto do Catolicismo.

Hoje começa o 14º Festival de Óperas do Amazonas, no Teatro Amazonas, com YERMA, de Heitor Villa-Lobos (1887-1959) – Ópera em três atos – Libreto do compositor, baseado na obra de Federico Garcia Lorca. O festival vai até dia 30 de maio, teremos ainda Guerras de Alecrim e Mangerona, Convivências de Ópera, Concertos Populares, A Cinderela, Roméo Et Julliette, Recital – 200 anos de nascimento de Frederic Chopin & Robert Schumann, Missa de Santa Cecilia, Concerto do Dia das Mães – Ave Maria, Floresta do Amazonas e, Lo Schiavo – no dia 30 de maio, no Largo de São Sebastião - Antonio Carlos Gomes (1836-1896), Drama lírico em quatro atos/Libreto de Rodolfo Paravicini/Sobre um original de Alfre.

Na Praça Tenreiro Aranha, popularmente conhecida como a Praça do Índio, será feita uma homenagens aos nossos queridos índios, teremos musicas, danças, comidas, vendas de artesanato – o evento começará as 17 horas, vamos lá prestigiar! É isso ai!

Postar um comentário