terça-feira, 13 de abril de 2010

ARTÍSTA PLÁSTICO ANÍSIO MELLO


Anísio Thaumaturgo Soriano Mello, nasceu no Município de Itacoatiara, Amazonas, no dia 21 de junho de 1927, faleceu em 11 de abril de 2010, residia na Avenida Joaquim Nabuco, 1.254, centro antigo de Manaus.

Era polivalente: artista plástico, músico, poeta, professor, escritor, tradutor do Russo, jornalista, dirigiu o Liceu Esther Mello (fundado pela sua mãe), membro da Associação Amazonenses dos Artistas Plásticos -AAMAP, fundador do Clube da Madrugada e membro da Academia Amazonense de Letras(cadeira nº 3, de patrono Gonçalves Dias).

Segundo a Biblioteca Virtual do Estado do Amazonas “Desde pequeno freqüentou aulas no curso de Belas Artes na Escola de Artes Cristo Redentor. Cursou Línguas Neolatinas na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Oswaldo Cruz, depois se transferiu para a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Nossa Senhora Medianeira em São Paulo. Dirigiu e fundou jornais e revistas, publicou vários livros tais como: "Estrelas do meu caminho"; "Remanso"; e "Lira Amazônica", dentre outros. A partir de 1985 passou a dirigir o Liceu de Arte do Amazonas Esther Mello (nome da sua genitora), onde desenvolve diversas atividades culturais ligadas às artes plásticas. Participou de diversas exposições, dentre elas: Salão da França (Paris, 1948); I Salão Bancário de Arte (São Paulo, 1958); Arte e pensamento ecológico, no Paço Municipal de São Bernardo do Campo (São Paulo, 1975); I Salão Tiradentes de Artes Plásticas, no Museu Tiradentes (Manaus, 1986) e Exposição Comemorativa aos seus 51 anos de vida artística, na Pinacoteca do Estado do Amazonas (Manaus, 1990). Seu estilo muda de acordo com o momento. Já passou pelo acadêmico, o impressionista e o abstrato”.


Segundo o seu amigo Almir Diniz “Ele era uma pessoa humilde, sobretudo, amigo. Ainda rapazinho, ele abrigava movimentos literários em reuniões no porão da casa dos pais, entre eles, o Grêmio Cultural Gonçalves Dias; realizava sempre às sextas-feiras, o chamado Chá do Armando, do qual participava vários de seus amigos da AAL, era uma reunião lítero-cultural, havia coquetéis, declamações de poesia, música, ele fazia saraus maravilhosos”.

O Anísio Mello cumpriu maravilhosamente a sua missão aqui na Terra, deixou exemplos para várias gerações de amazonenses, está feliz, com certeza, no andar de cima! Valeu!


http://www.bv.am.gov.br/portal/conteudo/pinacoteca/bio_anisio.php
http://www.palavradofingidor.blogspot.com/
Jornal A Crítica

Fotos: Anísio Mello na AAL e Capa do seu disco de vinil.
Postar um comentário