quarta-feira, 14 de abril de 2010

A PAIXÃO PELA FOTOGRAFIA


A fotografia tem um significado muito forte para mim, apesar de não gostar de ser fotografado, adora registrar tudo em minha volta, virou um hobby, uma paixão.


A palavra fotografia vem do grego e significa “desenhar com a luz”, ou seja, não basta ter um equipamento sofisticado e dominar todas as técnicas, a pessoa tem que ter sensibilidade para fotografar – desenhar, qualquer um desenha, agora, desenhar com a luz, somente um artista é capaz - não cheguei a este estágio, sou apenas um curioso, sem nenhuma técnica, apenas gosto de fotografar, mesmo não sabendo desenhar perfeitamente com a luz!

Existem alguns acessórios, que o homem moderno não pode sair de casa sem levá-lo consigo, pode-se citar o aparelho celular, os óculos, o molho de chaves do carro e da casa, o notebook, o pen drive, a carteira porta cédulas, acrescento ainda a máquina fotográfica, sem esta ferramenta, parece que falta um pedaço de mim.

A minha paixão, começou quando eu ainda era um jovem mancebo, lembram dos “álbuns de família”, gostava de ficar horas e horas olhando aquelas fotos antigas da minha "thurma", todas tiradas por profissionais, pois era praticamente impossível comprar uma máquina fotográfica naquele tempo.

Com muito esforço, consegui comprar uma máquina, passei a disparar os cliques para todos os lados, o problema era revelar os filmes, pois eram muitos caros, cheguei a perder muitos rolos por falta de grana para a revelação. Finalmente, chegaram as máquinas digitais, foi a salvação da lavoura, porém, consegui comprar uma, somente muitos anos depois de serem lançadas no Brasil.

Possuo milhares de fotos, coleciono também fotos antigas, utilizo vários programas - o famoso Fotoshop, o Picica e o Windows Movie Maker – para fazer montagens de fotos e publicar no Blodorocha. As colagens acima foram feitas pelo Picica, mostra os antigos bondes que circulavam em Manaus, a nossa querida Avenida Eduardo Ribeiro, os barcos regionais atuais e antigos,  a várzea do Município de Iranduba, as Praças antigas de Manaus, Amazônia, Belém do Pará Antiga e o Município de Barcelos.

Muitos profissionais achavam que iria desaparecer a sua profissão de fotógrafo, em decorrência da popularização em massa das máquinas digitais, ledo engano, nos eventos todo mundo tem a sua máquina, alguns ficam até brincando com aquelas minúsculas filmadoras, porém, a qualidade, a sensibilidade, a fotografia da “hora agá” fica comprometida, neste momento, entra em cena o profissional, sempre é chamado para cobrir o batizado, o casório, a formatura e o aniversário de quinze anos.

Segundo o fotógrafo Ivan Lima “A fotografia, antes de tudo é um testemunho. Quando se aponta a câmara para algum objeto ou sujeito, constrói um significado, faz-se uma escolha, seleciona-se um tema e conta-se uma história, cabendo a nós, espectadores, o imenso desafio de lê-Ias".

Uma fotografia vale por mil palavras. É isso aí! Viva a Fotografia!





Postar um comentário