quarta-feira, 6 de julho de 2011

AVENIDA CONSTANTINO NERY

Posted by Picasa

Todo o santo dia passam milhares e milhares de pessoas por esta importante avenida, todos, sem exceção, conhecem o seu nome, está na mente das pessoas que moram em Manaus, mas, praticamente uma ínfima parcela da população sabe a sua história e, da pessoa que deu o seu nome a esta via urbana.

Volta a afirmar que, não sou historiador nem pesquisador, apenas pego uma informação aqui e outra acolá e faço algumas postagens procurando resgatar de uma forma bem simplória a história da nossa cidade. Então, vamos lá!

O nosso respeitado Carlos Zamith, no seu blog “BAUVELHO”, fez uma relato minucioso da história dessa avenida. Segundo ele, a denominação oficial foi por força da Lei no. 426, de 30/11/1905, no entanto, ela foi mudada algumas vezes, chegou a chamar-se Avenida João Coelho (em homenagem ao governador do Pará, Dr. João Antônio Luiz Coelho) e Avenida Olavo Bilac (poeta brasileiro e fundador da Academia Brasileira de Letras).

Mas, afinal, quem foi Antônio Constantino Nery? Segundo os historiadores, ele nasceu na Vila de Coari, Amazonas, em 08/12/1859, filho de Silvério Nery e Maria Antony Nery, foi militar, engenheiro, governador do Amazonas (1904 a 1907) e Senador da República (1901 a 1904), escreveu “A quarta expedição contra canudos: cem léguas através do sertão, de Aracaju e Queimadas, via Canudos para Barbosa, 1898.

Membros da sua família tinham um peso político muito grande na cidade de Manaus e no Estado do Amazonas, tanto que além do Constantino Nery, foram governadores o Silvério José Nery (1900-1903), Júlio José da Silva Nery (1946) e Paulo Pinto Nery, governador de 1982 a 1983 e Prefeito, no período de 1965 a 1972.

O Constantino Nery construiu a Penitenciária (na Avenida Sete de Setembro) e a Biblioteca Pública. Não chegou a terminar o seu mandato, ele e o seu vice saíram do Poder alegando problemas de saúde, no seu lugar, assumiu o Affonso de Carvalho (1907 a 1908).

E a Avenida Constantino Nery? Sem sombra de dúvida, é considerada uma das mais importantes vias de Manaus, ela começa na Avenida Torquato Tapajós, no bairro de Flores, ligando a Zona Oeste da cidade até o centro histórico. Foi duplicada em 2004, recebeu uma pista especial para circular os ônibus  “Expresso”; ganhou passagens de nível e viadutos, porém, não está aguentando o pesado fluxo de veículos, tanto que estão querendo implantar o “Sistema Binário”, ficando mão única no sentido bairro-centro, na tentativa de amenizar na hora do “rush”.

Ela é uma via tão importante para a nossa cidade que, os homens do governo desejam a todo custo implantar o famigerado “Monotrilho”, um projeto caríssimo que irá cortar a avenida em toda a sua extensão.

Antigamente, na Avenida Constantino Nery ficavam os mais famosos “Randez Vous” (puteiros) de manaus, conhecidos como  “Verônica” (atual Shopping Millennium) e “Shangri-lá (entre o Bosque e o Conj. dos Jornalistas); passava por lá a linha de Bonde “Flores”, com 24 viagens diárias; os balneários de águas límpidas do Igarapé do Mindu; a “Chácara do Pensador”, pertencia ao governador Eduardo Ribeiro (atual Hospital Psiquiátrico); o clube dos ingleses (atual Bosque Clube); a Chácara dos Nery (atual Conjunto Parque dos Ingleses); a Fábrica Papaguara; a Usina Alegria (atual Centro Educacional Literatus); o tradicional Olímpico Clube; a Maromba; o famoso “Alonso Bar” e outros mais.

Atualmente, a Avenida possui um comércio intenso de revenda de veículos novos; vários colégios e faculdades; alguns postos de gasolina; muitas igrejas católicas e evangélicas; padarias; bares, lanchonetes e restaurantes; conjuntos habitacionais; abriga o Parque dos Bilhares; em construção a “Arena da Amazônia”, tendo em vista a Copa de 2014; hospitais e clínicas médicas; shopping Center e muitos mais.

Para finalizar, confesso que tenho um carinho muito especial por esta avenida, pois, foi onde os meus filhos e netos nasceram (Conjunto dos Jornalistas), além de ser histórica, possui uma importância enorme para os manauenses. É isso.

Postar um comentário