quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

SISTEMA DE TRATAMENTO DE ÁGUAS E ESGOTOS DE MANAUS - PASSADO & PRESENTE


A construção da rede de esgotos de Manaus, no início do século passado (1906), foi colocado nas mãos dos ingleses, através da empresa “multinacional” Manáos Improvements Limited Company, concessionária dos serviços de água e saneamento básico.



O prédio, que abriga hoje o Teatro Chaminé, construído em 1910, na Rua Isabel, foi obra da engenharia inglesa e tinha como finalidade servir de estação de tratamento de esgotos da cidade.

Foram construídas galerias de esgotos nas principais vias da cidade, um sistema perfeito e funciona até hoje, apesar de todas as intervenções dos governantes.

No imaginário do povo, conta-se que nas galerias existe uma cobra grande (boiaçu) com o rabo no Rodoway e a cabeça próxima ao Largo de São Sebastião.

Estava indo tudo muito bem, mas a esperteza e a ganância dos gringos aflorou, começaram a cobrar um preço altamente salobro pelo fornecimento do líquido precioso, houve uma gritaria geral, a população resolveu não pagar e, também não deixaram os funcionários da companhia entrar em suas residências para efetuarem os cortes.

A situação virou caso de polícia, a Manáos Improvements pediu o apoio da Polícia Militar para entrar nos domicílios, foram destacados 50 soldados para acompanhar os cortadores de água; não cumpriram as ordens dos superiores, estavam também sofrendo no bolso. O povo revoltado depredou os escritórios da companhia inglesa. Os soldados amotinados foram fuzilados por tropas federais.

O caso teve uma grande repercussão nacional; a empresa voltou para a Inglaterra, foi encampada pelo governo estadual, porém, o povo pagou o pato, teve que arcar com o pagamento de pesadas indenizações.

Passados todos esses anos, os governantes por pura incompetência, por não dizer safadeza, não seguraram a peteca; passaram a administração de água e esgotos para uma empresa multinacional francesa chamada Suez Lyonnais Dês Eaux, substituiu a Cosama, conhecido por "Colama".

O Rio Amazonas (o maior rio do planeta terra) fica no quintal da nossa casa, porém, a falta de água nas nossas torneiras é constante e a grande parte das águas servidas (esgotos) é jogada diretamente nos igarapés do Mindu, Franceses, Quarenta, Manaus, Mestre Chico, etc. O governo do Amazonas, investiu 400 milhões (dinheiro dos contribuintes), na construção do Sistema de Tratamento de Águas, da Zona Leste, vai dá de “mão beijada” para a Águas do Amazonas (privatização dos lucros).

O problema persiste: não colocaram um tubo de esgoto na cidade e cobram um absurdo pelo desserviço (80% sobre o consumo da água), o fornecimento da água é de péssima qualidade e a tarifa foi para as alturas.

Esta empresa já foi expulsa do Uruguai, Argentina e Bolívia. Não sei não, mas o povo está para quebrar tudo de novo!
Postar um comentário