quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

PADRE LUIZ RUAS


A Profa. Dra. Iraildes Caldas Torres e Evaldo Ferreira, respectivamente Diretora e Assessor de Comunicação da Editora da Universidade Federal do Amazonas – EDUA convidam os literatos, para o lançamento do livro “Cinema e Crítica Literária de L. Ruas”, de Roberto Mendonça, no Espaço Cultural Pina Chope (altos), na Av. Joaquim Nabuco, 931 – próximo à Rua Lauro Cavalcante, no dia 26 de fevereiro de 2010 (sexta-feira), no horário das 19 horas, telefone para contato 92 8134-9960.

Sobre o trabalho do escritor Roberto Mendonça, o pessoal da EDUA escreveu o seguinte: “O Padre, escritor e crítico - O padre Luiz Ruas rezou missas, foi professor de filosofia admirado pelos seus alunos, frequentou os bares da cidade como um simples boêmio e escreveu, escreveu muito, e com conhecimento de causa, sobre diversos assuntos, em todos os jornais da cidade durante as décadas de 1950, 60 e 70, por isso não foi difícil para o historiador Roberto Mendonça reunir material para mais um livro sobre o padre rebelde que fez história entre seus fieis e os intelectuais de seu tempo. Ruas escreveu em qualquer veículo impresso que circulasse na cidade, e sobre tudo, como bem deixa claro o título de sua coluna “Ronda dos Fatos”, quase diária no jornal A Crítica, além de ser colaborador do suplemento do Clube da Madrugada, encartado em O Jornal. “Também encontrei escritos dele no Jornal do Commercio; no jornal “Universal”, da igreja católica, e até no Diário Oficial, por isso tive que limitar o material para esse livro nas suas crônicas sobre cinema e críticas literárias, que não foram poucas”, explica. Cinema e Crítica Literária de L. Ruas é uma seleção de crônicas sobre a Sétima Arte e literatura escritas por Ruas e publicadas nos jornais A Crítica e o Jornal entre 1957 e 1970. “Uma delas, inclusive, é raríssima, pois foi publicada na revista Cinéfilo, de vida efêmera devido à ditadura militar, com apenas cinco números publicados, editada pelo professor José Gaspar, em 1969”, diz Mendonça”.

O Dr. Rogélio Casado, escreveu o seguinte no seu blog (http://www.rogeliocasa.blogspot.com/ ): “Sacerdote da arquidiocese de Manaus, Luiz Augusto de Lima Ruas nasceu em Manaus, em 1931, e exerceu seu ministério sacerdotal nas paróquias de Educandos, Colônia Oliveira Machado, dos Remédios e Sagrado Coração de Jesus, onde se despediu da atividade religiosa. Ao tempo de sua ordenação, em 1954, passou a lecionar algumas disciplinas em colégios, como o Colégio Estadual (francês), o Instituto de Educação do Amazonas (psicologia) e no então Instituto Christus, que teve sempre sua colaboração. Também foi professor de Psicologia, na Faculdade de Filosofia, quando esta foi criada. Iniciou sua atividade jornalística no Universal, jornal da Igreja Católica, que circulava aos domingos e existiu entre os anos de 1953-58. Adotando o nome literário de L. Ruas - passou, em 1956, a colaborar com o jornal A Crítica. Dispunha de uma coluna diária (Ronda dos Fatos) onde cuidava com propriedade de problemas da vida humana. Deixou este jornal em 1960. Em 1955, a convite de Jorge Tufic e encaminhado por Bosco Araújo, juntou-se ao movimento literário Clube da Madrugada, do qual foi presidente no biênio de 1957-58. Colaborou fartamente no Suplemento, editado pelo Clube, enquanto este circulou encartado em O Jornal, no período de 1962-72. L. Ruas também esteve envolvido no movimento cinematográfico da cidade, escrevendo para a revista Cinéfilo, que circulou em quatro edições. Todavia, o movimento militar de 1964 fez o padre Ruas amargar dias de prisão junto com outros companheiros intelectuais e políticos. Faleceu em 1º de abril de 2000, estando sepultado no cemitério de São João Batista. Obras publicadas:• 1959 – A Aparição do Clown, poesia. Reeditado pela Valer em 2000.• 1970 – Linha d´Água, crônicas reunidas e publicadas no jornal A Crítica.• 1979 – Os Graus do Poético, ensaios. Publicado por ocasião dos 25º aniversário da Rádio Rio Mar, onde também colaborou como cronista.• 1985 – Poemeu, poesia. Premiado pelo Governo do Estado”.

Postar um comentário