terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

A NOVA PRAÇA DA SAUDADE DE MANAUS


A Prefeitura Municipal de Manaus está finalizando os últimos preparativos, para entregar a nova Praça da Saudade, com o mesmo traçado como era em meados do século passado. Contará novamente com o charme das luminárias de ferro fundido e caramanchões laterais, onde vão apoiar-se os bouganvilles que estão sendo plantados no local. O monumento em homenagem a Tenreiro Aranha, primeiro presidente da Província do Amazonas, também está sendo restaurado e recolocado em seu local original. O espaço será utilizado como área de lazer e espaço cultural.

Estou no aguardo para tirar fotos da reinauguração, comentar sobre o grande dia e, postar tudo no nosso blog.

Comecei a frequentá-la no inicio da década de setenta, era apenas um adolescente; ela já estava bastante descaracterizada, senão vejamos:

• Lembro de um monumento, onde estavam duas figuras de bronze, um homem da caverna e um atleta (representando o moderno e o primitivo), rodeado de bastante água, onde eu e garotada da Rua Tapajós utilizávamos como piscina – esta obra foi feito pelo Prefeito Josué Claudio de Souza, em 1963;

• Em 1962 o então Prefeito Gilberto Mestrinho, mandou construir um prédio de três andares, para abrigar o Palácio da Cultura, depois foi utilizada pela SUHAB e pela SEJUS; esta construção foi muito polêmica, pois impedia a visão do majestoso prédio do Atlético Rio Negro Clube; o senador Jeferson Peres fez de tudo e conseguiu derrubar aquela indecência;

• Na administração do Prefeito Jorge Teixeira, mandou construir um “playground” todo de ferro, para as crianças, juntamente com a exposição de um avião DC-3, prefixo PP-CBT Cruzeiro do Sul, onde permaneceu até a década de 80, depois foi desmontado, encaixotado e exportado, via Porto de Manaus. Tive o privilégio de brincar nas assas desse avião!

• Construíram no local um Antiteatro, Barracas de venda de guloseimas, Parquinhos de Diversão, Feiras de Hippies e dos Indios, etc. Os meus filhos gostavam de passear num Trenzinho da Monica e do Cascão - era o local ideal para a diversão, alimentação e assistir aos eventos políticos e culturais.

A praça é do povo, configurando-se como um espaço público urbano, destinado a convivência e recreação. Teremos de volta a nossa Praça da Saudade, porém, não mais com aqueles equipamentos que tanto a descaracterizou – ela é um patrimônio histórico e cultural da nossa cidade. Será um novo marco para uma nova geração de manauenses, pois agora eles irão respirar história. É isso.

Foto: emprestada do site http://www.bauvelho.com.br/
Postar um comentário