quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

POT-POURRI DAS MARCHINHAS DA BANDA DA BICA



A mais famosa banda de carnaval de Rua de Manaus chama-se BICA – Banda Independente da Confraria (grupo de amigos) do Armando, fundada em 1987, localizada no mais tradicional boteco da cidade “O Bar Doce Lar” do Armando, no Largo de São Sebastião - ganhou o mundo em decorrência da irreverência dos seus brincantes, fazendo desfiles pelas ruas do centro, com bonecos gigantes, bandinhas de metais e muitas marchinhas de carnaval, sempre malhando alguma autoridade que pisou na bola.

Em comemoração aos seus vinte e cinco “anus”, como os biqueiros gostam de escrever, faço um “pot-purri” das marchinhas que fizeram sucessos ao longo do tempo na BICA.

Na Banda Independente
Confraria do Armando
Tá todo mundo dando,
Tá todo mundo dando
Dando alegria para esse pessoal
Que quer fazer o verdadeiro carnaval
Na época do tititi
Boiava em Manaus o boto-tucuxi
Um tremendo fariseu
Dizendo que reinava até o ano 2000
Mas o tempo se passou
A história não se repetiu
Foi o Arthur que falou
Lugar de boto é lá para o fundo do rio!
Que merda é essa ioiô
Que merda é essa Iaiá
Fazer teatro para o povo não entrar
Mais uma vez a nossa gente vai dançar
Assim não dá pé, assim não dá pé
Pegar pra pato o pobre do jacaré
A Lourdes disse e o Armando confirmou
Jacaré não é boto nem é vilão
É ou não é?... Coitado do Jacaré!
Se o azul é festa, é azul geral
Vem brincar na BICA neste carnaval!
Vem, vem, vem,
Vem, vem, Satanás
Vem animar o carnaval da BICA
Que este ano vai ser bom demais
Ação conjunta é papo
Pra boi dormir
Charles rouba de lá
E o Armando rouba daqui
Sem lari lari e nem com muita grana
Vendo meu voto pra esse teu papo aranha
Porque a Lourdes disso e o Armando confirmou
Que o velho comunista se aliançou
E hoje vai brincar na BICA
Com quem sempre criticou
A minha BICA sobe colorida
E na avenida hoje vem exaltar
(O quê? O quê?)
Armando Soares brasileiro
Quando chega fevereiro
Põe a BICA para sambar
Bota a BICA para zuar
Celestiou em teu olhar
Com Graça e louvação
Sou do Morro, sou boêmio
Salve São Sebastião
Eu hoje to com a toga solta
Nem CPIada vai me segurar
To vendendo habeas-corpus
Quem compra cinco
Tem de graça um alvará
É tanto baba-ovo levando tucumã
Vai ter banquete na mansão do Tarumã
Puta que pariu
O que será que o magro ouviu?
A gente não quer fazer futrica
Mas eles puxam o saco
E o povo entra na BICA
Punheta pra lá, suruba pra cá
Égua o Lupércio é vigário
Não consegue emprenhar
Ai, Alfredo Nascimento
O teu expresso é pior do que jumento!
Se estou dentro não sai
Se estou na fila não vem
E o trocador nunca tem troco pra ninguém
Se para o Centro não vai
Pra Zona Leste não vem,
Pra quê que serve então a merda desse trem?
No reinado do Belão
A minha bica vai entrar
Vai fazer mais um cordão
Pro Belão e sua turma rebolar
Rebola Belão aqui, rebola Belão prá lá
Ô Belão seu rebolado é bom prá Bica entrar


Este ano a BICA não vai sair. Mas, biqueiros de plantão se preparem, que no próximo ano a BICA vai entrar dobrada! Eu, hein!

Fonte: livro Amor de Bica
Postar um comentário