quinta-feira, 17 de março de 2011

OS NOTÍVAGOS DE MANAUS

Aquelas pessoas que gostam de andar e vagar pela noite, são chamadas de notívagas, confesso que faço parte desse grupo de pessoas, sempre gostei de caminhar e vagar pela minha cidade madrugada à dentro - existia uma confraria madrugadora, em especial, que se encontrava embaixo de uma árvore na antiga Praça da Polícia, centro antigo de Manaus.

As cabeças pensantes de Manaus, da década de cincoenta, fundaram uma agremiação notívaga, chamada de “Clube da Madrugada”, os intelectuais gostavam imensamente da noite, tanto que no início do movimento, os iniciados eram batizados depois da meia-noite, no Cemitério São João Batista. Cruz-Credo!

Um dos fundadores desse movimento chama-se Luiz Bacelar, um notívago inveterado, já chegou aos 83 anos, recentemente, presenciei-o passeando à noite, passavam das dez horas, estava vindo da Praça da Polícia e caminhando tranquilamente pelo calçadão da Avenida Getúlio Vargas, não sei onde ele mora, nem para aonde ia, deu vontade de conversar com ele, mas, o deixei em paz na sua caminhada noturna.

Vale ressaltar, também, que outro fundador, chamado Jorge Tufic, está atualmente radicado no Ceará, mas, quando vem a Manaus, faz questão de andar pelas noites quentes de Manaus, apesar da violência urbana; ele gosta muito de caminhar pelo Largo de São Sebastião, Rua José Clemente, Rua Epaminondas e pela Praça da Saudade, também é considerado um notívago inveterado.

Fico encantado com a disposição, saúde e vitalidade dos nossos poetinhas acima, principalmente, pelo amor demonstrado por Manaus, pois, quem caminha pelas ruas da sua cidade, nutre um grande amor por ela; não chora, ama; não lamenta, vaga e anda, com amor.

Existem pesquisas para tudo o que se pode imaginar, para ser ter um ideia, uns malucos da Faculdade de Economia e Estudos Sociais de Londres, chegaram a conclusão que, as pessoas com maior coeficiente intelectual são mais propensas a ser notívagos, refletindo em um maior nível de complexidade cognitiva entre as pessoas que exercem uma ocupação, profissão ou maneira de viver, não sei se tem fundamento cientifico, mas, será este o motivo que levavam os integrantes do “Clube da Madrugada” a gostarem tanto da noite?

Na minha juventude e, em grande parte da minha vida adulta, caminhei, vaguei e, amanheci milhares de vezes pelas ruas da minha Manaus. Não sei explicar esse gosto, mas, a impressão é muito boa, dar uma sensação de liberdade, com poucas pessoas pelas ruas, fica tudo calmo, tranquilo; todos os gatos são pardos à noite, por isso, tudo é bonito e belo.

Quando a nossa cidade era pacata, dava para ouvir muitas coisas na madrugada: o som do apito de um guarda noturno, o badalar dos sinos da Igreja de São Sebastião, o cocoricar distante de um Galo, o piar de uma Coruja, o apito das usinas de beneficiamento, o uivado de um cão vira-lata, a voz calma e mansa de um vendedor de Mingau e um grito perdido na noite!

Atualmente, o que dá para ouvir na madrugada: a sirene da polícia, o estrondo de fogos de artifícios, a barulheira dos automóveis, o som estridente das baladas, o grito de policiais na captura de bandidos, o estampido de uma bala e muitos gritos perdidos na noite!

Conforme uma cidade vai crescendo, a violência urbana tende a crescer numa progressão geométrica, infelizmente, torna-se um fator crucial que impede aos notívagos de vagarem e caminharem sossegados e contemplativos pelas ruas da sua cidade.

Certa noite “caliente” da minha cidade fiz uma caminhada pelo centro histórico de Manaus (mesmo com certo receio), caminhei, caminhei e, parei defronte ao “mulateiro” da Praça da Polícia, fiquei a admirar aquela árvore secular e também a um banco, não sei se é aquele em que os madrugadores chamavam de “banco dos patos”, sentei e fiquei a admirar o local e a noite, é claro!

Olhei ao redor, fiquei a pensar no tempo passado, quantas pessoas notívagas ficavam ali até altas horas, mas o tempo é cruel, tudo passa e tudo passará - não tinha uma viva alma naquele momento, quem sabe, tinha sim, muitas e muitas almas rondando aquele lugar, pois ali é o lugar de encontro deles, dos notívagos de Manaus! Eu, hein!

Imagem retirada do blog: http://atticos.blogspot.com/2010/08/notivago.html
Postar um comentário