sábado, 5 de junho de 2010

OLHA OS POLÍTICOS AI GENTE!

As eleições estão chegando, a movimentação está grande, muitos perderão a boquinha, outros, entrarão para o processo de engorda (mamar nas tetas do governo), pouquíssimos, passarão na peneira da ética - são aqueles que não fazem politicalha; enquanto outros tantos,  são considerados verdadeiros palhaços.

Não gosto de fazer postagem sobre este tema, não entro nesta seara, não é a minha praia, porém, gosto de dar umas boas gargalhadas das palhaçadas de alguns políticos - os folclóricos (aqueles estabanados, falam besteiras e se comportam de maneira ridícula), estes são um “prato feito” para o meu brother Simão Pessoa, foram tantas presepadas dos políticos que serviram para ele escrever várias versões do livro “Folclore Político do Amazonas”.

Manda lá Simão:

Fevereiro de 1985. Eleito pelo PDS, o prefeito Raimundo Sobrinho, de Boa Vista do Ramos, estava tendo dificuldades de “rolar” a dívida da prefeitura e pediu ajuda ao deputado estadual Átila Lins para agendar um encontro dele com o governador Gilberto Mestrinho. A ajuste fiscal que o governador estava promovendo no Estado estava tirando o sono dos alcaides. Na manhã de uma sexta-feira, o telefone do prefeito tocou, do outro lado da linha, Átila Lins: - Prefeito, estou aqui em Urucurituba. Pega uma voadeira e se manda pra cá, que o governador vai te receber em audiência. No início da tarde, Sobrinho chegou a Urucurituba, debaixo de um temporal diluviano. As ruas de barro haviam se transformado em cachoeiras de lama. Para não sujar a imaculada calça de linho, o prefeito enrolou a bainha da calça até o meio da canela. Quando entrou na sala da Prefeitura, onde o governador estava realizando as audiências, o deputado percebeu que ele ainda estava com as calças enroladas. Átila Lins se aproximou discretamente do prefeito e sussurrou em seu ouvido: - Abaixa a calça, prefeito!Sobrinho levou um susto. - Já?! – reagiu. “Eu pensei que a gente pudesse primeiro negociar…” O deputado teve um trabalho do cão para desfazer o mal-entendido.

Discurso de um prefeito do interior do Amazonas, na inauguração de uma Ponte de madeira: - Esta ponte foi fazida com muita dificuldade!. O seu  secretário particular  falou bem baixinho para o prefeito: - Prefeito, o correto é foi feita e não foi fazida! O prefeito respondeu: - Já foi dizido agora é tarde demais! 

O senador Evandro Carreira possui uma inteligência impressionante, o homem é um gênio, alguém pode decifrar o que ele escreveu: - A VOCAÇÃO HIDROGRÁFICA e SOLAR DA AMAZÔNIA, valendo todos os corolários que decorrem deste AXIOMA, como soem ser as VOCAÇÕES ICTIOLÓGICAS, A AGRÍCOLA VARZEANA, a HIDROVIÁRIA, a RIBEIRINHA, a FOTOSSINTÉTICA, USINA de ALIMENTOS e FÁRMACOS, através de sua BIODIVERSIDADE, exige a única providencia inteligente e fundamental para decifrar a HIDROESFINGE AMAZÔNICA. O SEU INVENTARIO, ESVURMANDO, anatomizando, todas as suas ESPÉCIES, para saber QUEM É QUEM? QUEM AMA QUEM? QUEM ODEIA QUEM NA AMAZÔNIA, ISTO É, descobrir a sua HOMEOSTASIA. A AMAZÔNIA é a melhor grife, a melhor marca, a melhor propaganda do mundo. Nem a COCA-COLA empata com a AMAZÔNIA. Porém, a incompetência dos governantes do AMAZONAS e de MANAUS, do PARÁ e de BELÉM, nunca soube aproveitar esse MARKETING.

“CABOCLO! O QUE É DESENVOLVIMENTO? TENS CERTEZA MESMO QUE ÉS DONO DA AMAZÔNIA? Não achas que a AMAZÔNIA está nas mãos de grupos econômicos estrangeiros, e brasileiros, ligados a políticos vigaristas, corruptos, vendilhões da pátria... DONOS DE MINERADORAS, MADEIREIRAS, FAZENDAS DE GADO, LATIFÚNDIOS, INDUSTRIAS DE APARAFUSAMENTO DE ELETRODOMÉSTICOS, das quais tu, quês és POVO, não és SÓCIO?”. Eu, heim!

O Deputado Estadual Antonio Cordeiro (Cordeirinho para os íntimos), sempre foi muito polêmico, tinha o hábito de fumar charutos cubanos nos corredores da Assembleia, os seus discursos eram esmerados (para não falar o contrário), utilizava termos conhecidos como o “Amazonês”: - Isto aqui é uma fuleragem (coisa ruim)! - Vocês são um bando a abacabeiros (mentirosos)! - Antigamente eu andava na pindaíba (liso)! - O cara bateu fofo (descumpriu um acordo) novamente! - Votou nesse deputado aí? Éraste, maninho…”. É mole ou quer mais, então toma esta: - Grandes coisa esse advogado de merda!

Vou parar por aqui, não tive a intenção de denegrir a imagem dos citados, foi apenas um aperitivo, para relaxar um pouco. É isso ai!
Postar um comentário