sábado, 10 de março de 2012

NOS TRILHOS DOS BONDES DE MANAUS


Os coroas da minha geração, quando querem chamar alguém de velho, gostam de dizer o seguinte: - Tu já morcegou bonde, de montão e, ainda quer dá uma de garotão! Para quem não sabe, a gíria morcegar é utilizada para designar um sujeito que entra e sai de um bonde em movimento, sem pagar a tarifa e, bonde, foi um sistema de transporte que existia na cidade de Manaus, que foi desativado em 1957, deixando apenas os trilhos a mostra e muitas saudades.


O BLOGDOROCHA é saudosista e de resgate da nossa urbe antiga, pois Manaus no inicio do século passado, era uma das cidades mais bonitas do Brasil, infelizmente, o centro histórico foi sendo destruído ao longo de um século, tudo em nome do “progresso” – o bonde foi um deles, deixaram somente os trilhos, jogaram asfalto sobre eles, tentando apagar parte da nossa história.

Ainda bem que alguns desses trilhos estão devidamente recuperados e expostos no Largo de São Sebastião, além de uma réplica do “Bonde Saudade”, infelizmente, ele foi transferido para o Teatro Chaminé, na Manaus Moderna – ele fazia o maior sucesso entre os jovens e turistas -, todos gostavam de tirar fotografias, sentar nos seus bancos e apreciar toda aquela movimentação do entorno do Teatro Amazonas.

A capital do Estado do Amazonas foi a segunda cidade brasileira a ter luz elétrica, sendo possível no finalzinho do século dezenove, implantar este tipo de veiculo elétrico de transporte urbano, na administração do visionário governador Eduardo Ribeiro – naquele tempo, dinheiro não era problema, os cofres públicos estavam abarrotados de recursos, advindo dos impostos da comercialização do látex (água nascente) da árvore-da-borracha.

A empresa que administrava os bondes e o fornecimento de luz elétrica era a inglesa “The Manaos Tramways And Light Co. Ltd.” - esta corporação emitiu milhares de debentures (valores mobiliários) para a manutenção do seu capital social e dos investimentos, esses documentos até hoje são vendidos na internet para colecionadores.

Existe um projeto do governo do Estado, através da Secretaria de Cultura, para os bondes voltarem a circular em Manaus – inicialmente, será apenas uma pequena linha turística que fará o trajeto do Porto de Manaus (Rodoway) até o Teatro Amazonas.

Isto somente acontecerá após a revitalização de toda a extensão da Avenida Eduardo Ribeiro – boto fé na pessoa do secretário Robério Braga, o homem é competente e ama de paixão a sua cidade, com certeza, o projeto será implantado até a Copa de 2014.

“Um bonde parado, não tem graça, mas o motorneiro (motora) é São Sebastião!” – assim se expressou o meu amigo Lúcio Bahia na sua linda canção “Tacacá na Cuia” – realmente, um bonde parado não tem a menor graça - estou na torcida, espero que sejam desenterrados depois de 54 anos e que, os bondes voltem a circular nos seus trilhos, matando a saudade daqueles tempos bons de outrora. É isso ai.
Postar um comentário