sábado, 24 de março de 2012

CHURRASQUINHO DE GATO


Apesar de estarmos em crise, dois ramos nunca param de crescer, um é o alimentício e, o outro é o de medicamentos, pois necessitamos nos alimentar diariamente e, estamos sempre adoecendo – com relação ao primeiro, a venda de comidas de rua cresce numa projeção geométrica, tudo em nome da pressa e da falta de grana, sobressaindo o nosso churrasquinho de gato de cada dia, a salvação da lavoura dos estudantes e dos trabalhadores do comércio.

Onde existe grande movimentação de pessoas, lá são encontradas as barraquinhas de churrasco de bichano, pode conferir nas saídas de fábricas, faculdades, escolas e cursos, estádios de futebol e de esportes, grandes igrejas e templos evangélicos, centro da cidade em zonas comerciais, perto de academias e clubes, próximos a bares, praias movimentadas, hospitais e grandes clinicas – ninguém resiste aquele cheirinho de churrasco, com apenas dois reais, farinha e água, o caboco enche o bucho!

O trabalhador pega um chute no traseiro, leva a conta de uma empresa do Distrito Industrial, com parte da grana do FGTS monta o seu próprio negócio, manda fazer uma churrasqueira com rodinhas, em inox, adquire espetos, um conjunto de facas, saleiros, isopor para água mineral, cervejas e refrigerantes, recipientes para a farofa, arroz e vinagrete, carne tipo alcatra passada no amaciante da Maggi, frango e toscana – pronto, agora basta muita força de vontade e escolher o local ideal e, faturar aos tubos!

Vamos fazer uma projeção: trabalhando 25 dias por mês, vendendo em torno de 150 espetos diariamente, ao preço de R$ 2,00, o faturamento bruto mensal será de R$ 7.500,00 – um bom negócio para um trabalhador que ganhava mil reais no Pólo Industrial de Manaus.

Conheço um churrasqueiro de gato que se enquadra perfeitamente no exemplo acima, ele possui a “matriz” na esquina Rua José Clemente com a Rua Lobo D´Almada, vende um miau da melhor qualidade, possui uma clientela fiel, tanto que já abriu várias “filiais” em paradas de ônibus do centro; está ganhando muita grana e, chegou a comprar no ano passado, uma camionete S10 “zerada”.

Os churrasqueiros de miau mais famosos de Manaus estão localizados nos conjuntos Eldorado e Dom Pedro – eles possuem uma grande variedade de churrasquinhos, disponibilizam aos clientes até o “Menu”, com mesas e cadeiras de plástico para comodidade da clientela.

Nestes locais, já observei muitos bacanas pararem os seus carrões, abaixam um pouquinho o vidro para fazer o pedido, eles não gostam de se misturar com a gentalha e, muito menos de aparecer comendo um puro churrasquinho de gato – a grande maioria encomenda para viagem, um serviço top, tipo “Drive-Thru Baré”!

Certa vez, um vendedor gaiato de churrasquinhos colocou uma placa no seu estabelecimento, com os seguintes dizeres: “Gato Siamês, da melhor qualidade, criado na ração, nunca comeu um rato!”. É mole!  


A minha amiga Conceição da Chapada, uma vendedora de churrasquinho de Felis cattus, modernizou a sua banca, comprou uma churrasqueira à gás, tipo "no bafo", faz o maior sucessor com a turma que vai malhar à noite na Academia Atlética - no último show do Rei Roberto Carlos, foi até a Arena Amadeu Teixeira, vendeu trezentos miuazinhos, faturou oitocentos contos e, de quebra ouviu toda as musicas interpretados pelo cantor. 

A fotografia da postagem foi tirada de um churrasqueiro de miau, ele tinha uma banca no finado Estádio Vivaldo Lima, neste dia, o caboco estava cheio da água-benta, era despedida, pois foi o último jogo antes da demolição. 


Pois é, mano velho - dou o maior valor a um churrasquinho de gato, apesar do perigo de uma infecção intestinal, fazer o quê! É isso ai.
Postar um comentário