quarta-feira, 6 de abril de 2011

OS FORTES DE PROTEÇÃO DA AMAZÔNIA.

A nossa Amazônia sempre foi cobiçada por outros povos, tanto que no século dezessete, foram construídos vários Fortes para a proteção do nosso torrão, passados todo esse tempo, ainda hoje, continua uma fonte de grande preocupação das autoridades, com relação à proteção das nossas fronteiras.

Os espanhóis tinham direito por esta imensa área, decorrente do Tratado de Tordesilhas, porém, eles não tinham interesse pela Amazônia, os portugueses, pelo contrario, não vacilaram em efetivar o seu controle.

Tudo começou com as investidas dos ingleses, franceses e holandeses em se estabelecerem por estas bandas. No Maranhão, os franceses pretendiam estabelecer a França Equinocial, foram expulsos e, os portugueses começaram a ficar com a orelha em pé, para tanto, começaram a construir os famosos Fortes.

Foram construídos grandes fortes, tais como: Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém, Forte de São Luís do Maranhão, Forte de São José da Barra do Rio Negro, além de outros menores.

Os dois primeiros, continuam ainda em pé, resistiram ao longo do tempo, recententemente, foram revitalizados, fazem parte da história das cidade de São Luiz (MA) e Belém (PA) e são uma grande atração turistica.

Infelizmente, o Forte que deu origem a cidade de Manaus, não foi protegido até os nossos tempos, dizem que ele foi erquido onde é hoje o Porto de Manaus “Rodoway”, mais precisamente onde fica o prédio do “Tesouro Estadual”.

Os Fortes da atualidade, são dotados de um sofisticado sistema de vigilância e proteção da Amazônia, contando com equipamentos de última geração, radares, aviões adpatados, bem como, com a presença marcante das forças armadas, protegendo o nosso espaço aéreo, as nossas matas, os nossos rios e as nossas fronteiras.

A nossa Amazônia será sempre nossa! Deveremos ter todo o cuidado com a sua preservação e proteção. Todo cuidado é pouco, não poderemos baixar a guarda. São cinco séculos de cobiça.

Os nossos Fortes devem ser cada vez mais fortes, em nome da proteção da nossa Amazônia! É isso.

Postar um comentário