quarta-feira, 27 de abril de 2011

JEFFERSON PÉRES, UM HOMEM ÉTICO E DEFENSOR DA CIDADE DE MANAUS.

O nosso querido e eterno Senador amazonense Jefferson Péres (PDT-AM, 1932-2008), foi um dos mais éticos políticos brasileiro, um homem público bastante respeitado em todas as classes sociais, sendo ovacionado de Norte a Sul do nosso país; teve uma sólida formação acadêmica, formado em Direito, pela UFAM e Administração de Empresas, pela FGV, foi um grande professor de Economia Brasileira; demonstrou em toda a sua vida um imenso amor pela sua cidade natal, seu povo, amigos e familiares; faltaria espaço aqui para descrever as imensas qualidades dessa nobre pessoa.

Louvo a iniciativa do Deputado Federal Francisco Praciano (PT-AM), coordenador da Frente Parlamentar de Combate à Corrupção da Câmara Federal, que quer criar, no Amazonas, o Fórum de Combate à Corrupção, com o lançamento previsto no dia 23 de maio, data morte do senador Jefferson Péres.

O nosso nobre senador, curtiu a sua mocidade, na década de quarenta e cinquenta, quando Manaus ainda era bela, bucólica, apesar de ser muitíssima diferente da do inicio do século passando, quando alcançou o seu esplendor, mesmo assim, foi uma fase marcante para ele, tanto que escreveu o livro “Evocação de Manaus: como eu a vi e sonhei. Manaus: Valer, 2002”, onde relata muito bem aquela época.

Ele era um fervoroso defensor da revitalização total do centro histórico de Manaus, lutou feio para demolir um prédio ridículo que construíram dentro da Praça da Saudade, conseguiu o seu intento, porém, não chegou a ver a praça toda revitalizada, igualzinha como era no seu tempo de jovem.


No início do governo Eduardo Braga, o senador Jefferson deu muitas idéias para revitalização da cidade de Manaus, uma delas, foi a criação de um parque no entorno do Centro Cultural Palácio Rio Negro, antiga sede do governo estadual. Através do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus, o projeto saiu do papel, tornando um cartão postal de Manaus, com uma homenagem justa ao senador, sendo batizado de Parque Jefferson Péres.

Falar de Jefferson é fácil, pois tudo o que se possa pensar de bom que tivemos na cidade de Manaus, lembra a figura deste homem.

Ele faz parte daquela plêiade, onde uma pequena parcela de amazonenses ilustres, ficarão para o todo e sempre vivo na memória do nosso povo. Amém (assim seja). É isso.

Fotos:
Jefferson Péres
Portal do Parque Jefferson Péres, Manaus - J. Martins Rocha


Comentários:

Caro Rocha,


Gostaríamos de agradecer pela bonita homenagem ao nosso querido e inesquecível pai e marido, Jefferson, em seu blog. De fato, tudo que você escreveu realmente procede e é sempre tocante quando sabemos que alguém relembra sua marcante trajetória. Infelizmente ele se foi muito cedo aos nossos olhos, quando ainda podia ter contribuído muito mais por nossa querida cidade. Perdemos uma pessoa singular, extremamente lúcida, serena e inteligente, um homem de família adorável e um amazonense de primeira grandeza. Manaus, sobretudo, perdeu muito com sua partida prematura, posto que sempre foi um defensor incondicional de sua terra natal. E, na vida pública brasileira, a lacuna que deixou talvez demore ainda muito tempo para ser preenchida. Mas insondáveis são os desígnios de Deus, e, para os que têm fé, deve estar sempre presente a certeza de que tudo tem um propósito, a seu tempo e sua hora. E, no caso de Jefferson, como diz o ditado, morre o homem e fica a obra, ou, por outra, o exemplo para as gerações futuras, de uma pessoa que soube conduzir sua vida com honradez e dignidade, em público e na vida privada. O parque que hoje leva seu nome, de fato foi uma justa homenagem a ele, que muito nos emociona toda vez que por lá passamos (na verdade quase todos os dias!). Não apenas por ser uma linda obra de cunho paisagístico, que muito embeleza nosso centro histórico, mas por sido um sonho acalentado por ele em vida, já que passou boa parte de sua infância e adolescência ali nos arredores do Igarapé de Manaus, na bela casa da Rua Huáscar de FIgueiredo, nº 1116, de sua avó materna, ainda hoje de pé. Por sinal, como somos seguidores de seu blog, ficamos sabendo que você morou também naquela mesma rua!


Portanto, fica aqui o muito obrigado sincero da família de Jefferson Péres pela grata memória de nosso ente querido.

Marlídice, Ronald, Roger, Romulo e Jefferson Neto.


Postar um comentário