terça-feira, 21 de setembro de 2010

O PRÉDIO DA “CASA 22 PAULISTA” FOI SALVO PELO GONGO!

O prédio da esquerda, fica na Rua Epaminondas, esquina com a Avenida Sete de Setembro, centro antigo de Manaus – foi construído no final do século XIX. Dizem que este nome curioso se deu, em decorrência de abrigar por algum tempo, exatamente, vinte e dois paulistas.

O projeto básico do famigerado “Monotrilho” previa a derrubada desse prédio e do Teatro da Instalação – com a intervenção dos Ministérios Público Estadual e Federal e do Instituto Histórico e Artístico Nacional, a empresa Princewaterhouse Cooper Corporation foi obrigada a rever o projeto e o traçado, desviando para a direita, fazendo com que todo o quarteirão de prédios históricos seja preservado.


Por falar em monotrilho - este é um projeto de mobilidade urbana que faz parte das obras de preparação da cidade para ser uma das sedes da Copa do Mundo 2014. Acredito que este projeto não vai vingar, pois, todo mundo sabe que este tipo de transporte não é mais adotado em nenhuma cidade, por ser de alto custo, antieconômico e poluidor visual. Somente é aceito em parques temáticos -, inclusive, o que foi construído para a Copa de 2010 na África do Sul está sendo desmontado.

A solução viável é a adoção do “Bus Rapid Tansit – BRT” – um sistema de ônibus de alta capacidade que provê um serviço rápido, confortável, eficiente e de qualidade, com a utilização de corredores exclusivos. A Prefeitura de Manaus entrou na briga contra o monotrilho e vai adotar o BRT do centro até a zona leste da cidade – o próximo governador terá de repensar e adotar também este sistema.

Ainda bem que existem instituições do quilate do Ministério Público, tanto na esfera estadual quanto na federal, onde trabalha pessoas dignas de todo o nosso respeito, pois cumprem fielmente o seu papel instituído pela nossa Carta Magna de 1988: a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis (interesse público).

A Casa 22 Paulista foi salva pelo gongo, os proprietários podem continuar o seu tradicional ramo varejista de vendas de tecidos. Xô monotrilho, sai prá lá bicho ruim! Venceu o bom senso e os homens de boa vontade! É isso ai.

Postar um comentário