segunda-feira, 28 de julho de 2014

CHEGOU A HORA DE DAR O TROCO NOS POLÍTICOS


Pois é, mano velho - tem tempo para tudo e, depois de quatro anos “no bem-bom”, chegou o tempo dos políticos suarem a camisa, de deixar o ar-condicionado dos seus gabinetes e carrões de luxo, para passar por aquela situação “humilhante” de implorar o voto do eleitor, batendo de porta-em-porta – chegou a hora de dar o troco neles.


Sábado passado, passei por muitos cruzamentos importantes da nossa cidade e, pude presenciar muitos “figurões” e madames da alta sociedade “mamadores das tetas do governo”, todos com camisas tipo polo do “Shoping Bate Palmas”, calças jeans surradas e tênis sujos de barro, tudo para dar um ar de “pobreza” para o eleitor – eles estavam no comando de dezenas de pessoas simples, para empunharem bandeiras de candidatos, em troca de cinquenta paus.


Na “Bola do Eldorado” vi chegar um politico “top”, o cara veio com uma cambada de “puxa-sacos” – ele saiu do seu carrão 4 por 4 com cabine dupla, sem “insulfilme” para, agora, ser visto por todos e, em dez minutos o cara estava “mais suado do que tampa de marmita”! O caboco já estava desacostumado a suar a camisa e a beijar pobre!


Os novatos na política partidária ou aqueles que nunca conseguiram uma eleição, quase que não aparecem, os coitados “são lisos” tão quanto à maioria dos eleitores! Conheço alguns deles que estão endividados “até o pescoço”, mas não desistem nunca, sempre na esperança de um dia “ganhar uma” e passar a viver numa boa, pois o negócio é bom e dar retorno, com certeza!


Conheci alguns pessoas quando éramos mais jovens, depois, entraram na política, conseguiram se eleger, ficaram importantes e, deixaram de falar comigo, porém, em quatro e quatro anos, alguns deles se lembram do caboco aqui e, na maior “cara dura”, pedem o meu voto!


Chegou a hora da “onça beber água”, a hora do troco, de mostrar o peso do eleitor! Para aquele que passou quatro anos fazendo “politicagem”, caso bata a minha porta, terei o maior prazer em atendê-lo e ouvir atentamente o seu "lero-lero", quando virar as costas, darei um “cototoco” e, direi bem baixinho: - Tá qui prá ti!


Não pensem os senhores que tenho raiva de político, muito pelo contrário, tenho o maior respeito e dou muita importância pelo seu papel de fiscalizador dos atos do executivo, bem como, pela elaboração e votação das leis – no entanto, o que me revolta é a forma desonesta como a maioria exercem o seu papel, sempre pensando em ser dar bem, aumentando o seu patrimônio pessoal a cada eleição. 


Chegou a hora cabocada! Vamos dar o troco neles! Não tem essa de vender o voto por cinquentinha, de receber uns óculos, uma dentadura ou tomar um “sopão” em troca do voto. Não faça isso, não! Dê o troco, não votando nesses leprosos que estão enterrando o nosso país! É isso ai
Postar um comentário