quarta-feira, 25 de maio de 2011

RUA LAURO CAVALCANTE


Esta rua inicia-se na Avenida Getúlio Vargas, passa pela Avenida Sete de Setembro e termina na Rua Igarapé de Manaus, ela faz parte da minha infância e adolescência, assim como, de muita gente que viveu naquele entorno.

 Foi uma das mais belas ruas de Manaus, aliás, praticamente todo o centro histórico da nossa cidade era belo, basta verificar as fotografias antigas. Caminhando por lá, ainda pode-se observar muitos prédios bonitos, apesar do abandono e da destruição. Caso um dia for toda revitalizada, com a fiação de energia enterrada, com certeza, teremos um belo motivo para passear por aquela importante artéria.

Segundo o Carlos Zamith, no seu blog no endereço http://www.bauvelho.com.br/  “Foi uma artéria que já sofreu alteração em sua nomenclatura, como tantas outras de nossa cidade, em razão da falta de sensibilidade de legisladores municipais que, no afã de mostrar “serviço” jamais se preocuparam em preservar um pouco de nossa história. O nome de Rua de Lauro Cavalcante foi oficializado, através de um projeto de lei do Intendente Sérgio Pessoa Neto que, numa das reuniões da Intendência Municipal (hoje Câmara), com a devida justificativa, encaminhou a proposição, aprovada em 26 de outubro de 1917, transformando-se na Lei nº 915, da mesma data. Diz o autor:- “Lauro Cavalcante era médico. Em vida prestou reais serviços aos pobres desta capital, fazendo-o com solicitude e sem remuneração de qualquer espécie”, disse Sérgio Pessoa na justificativa. E prosseguiu: “seu último ideal foi à criação de um Asilo de Proteção e Assistência à Infância, instituto que não chegou a produzir seus efeitos por ter sido o seu autor arrebatado precocemente. Minha proposição importa num preito de profundo reconhecimento do povo amazonense aos grandes méritos de ilustração e competência. Por esse motivo a Intendência resolve dar a denominação de “Dr. Lauro Cavalcante” ao trecho da Rua Henrique Martins compreendido entre a Avenida 13 de Maio (hoje Getúlio Vargas) e Igarapé de Manaus visto não ser o referido trecho um prolongamento da dita artéria”. Já em 1928, o Intendente João Severiano de Souza numa das reuniões da Intendência Municipal apresentou projeto de lei mudando o nome de Rua Dr. Lauro Cavalcante para Rua Jonathas Pedrosa e esta para Rua Dr. Lauro Cavalcante. O projeto foi aprovado e a Lei publicada com o nº 1.419, de 16 de outubro de 1928. Dois anos depois, nomeado Prefeito Municipal, o professor Marciano Armond baixou Decreto, de nº 03, de 01 de novembro de 1930, fazendo voltar às antigas nomenclaturas, alteradas nos últimos anos. Foi assim que a Rua Dr. Lauro Cavalcante voltou à artéria primitiva e a Rua Jonathas Pedrosa ao seu lugar de origem, mantidas até os dias atuais. O Dr. Lauro Cavalcante foi o terceiro presidente do Atlético Rio Negro Clube, eleito a 7 de novembro de 1915 e reeleito a 5 do mesmo mês de 1916. Licenciou-se do cargo em abril de 1917, por motivo de saúde viajando nesse mesmo dia para fora do Estado”.

Por ter morado no Igarapé de Manaus, esta rua marcou muito a minha infância e adolescência, jamais poderei esquecer: o Dr. Abdoral, um dos mais renomados dentistas de Manaus; a Sorveteria que pertencia aos pais do Farid e do Pedro (da FM Turismo); as Residências dos meus colegas; a Casa da Norma, uma grande amiga da nossa família; o Prédio da INOCOOP, cooperativa que comandou a construção do Conjunto dos Jornalistas; a Residência do Sr. Dico Paiva, um massagista do Nacional Futebol Clube; um Colégio Público (atual SINE-AM); o Bar do Carlos, local de encontro dos pés-inchados; a Vila Jorgete; Vila Valente, residência da minha amiga Jô; o Bar e Restaurante Castelo de Ouro, estabelecimento onde o meu pai tomou muitos birinaites e sempre comprava para casa a famosa "Claúdia Barroso", galinha assada numa "televisão de cachorro" e a Sorveteria Lolo, os donos da atual Sorveteria Glacial.

As fotografias acima, foram tiradas por mim, mostra alguns imóveis atuais. Na antiga, mostra uma fábrica de móveis, de propriedade de Teixeira e Couteiro, ficava na esquina com a Avenida Joaquim Nabuco, foi demolido, no local construíram um grande espigão. É isso.



Fotos:
Fotocolagem: J. Martins Rocha
Postar um comentário