terça-feira, 25 de agosto de 2009

POETA ANÍBAL BEÇA

Posted by Picasa
Anibal Augusto Ferro de Madureira Beça Neto nasceu no dia 13 de setembro de 1946 e ocupava a cadeira de número 28 na Academia Amazonense de Letras. Além dos inúmeros trabalhos em poesia que publicou durante sua vida literária, o escritor era bastante conhecido como animador cultural no Estado; trabalhou como repórter, redator e editor, em todos os jornais de Manaus, foi diretor de produção da TV Cultura do Amazonas, conselheiro de cultura, consultor da Secretaria de Cultura do Amazonas., foi vice-presidente da União Brasileira de Escritores (UBE-AM), presidente e vice-presidente da ONG “Gens da Selva”. Presidiu o Sindicato de Escritores do Estado do Amazonas e Conselho Municipal de Cultura.Neste ano de 2009 completaria 43 anos de atividade literária e 47 de atuação na música popular, tendo vencido inúmeros festivais de MPB por todo o Brasil.
Morreu na manhã de hoje (25), vítima de complicações renais e infecção generalizada decorrentes do diabetes, o poeta, compositor, teatrólogo e jornalista amazonense Anibal Beça, de 62 anos, de acordo com o filho do escritor, Ricardo Antonio Turenko Beça, que também é médico e acompanhou o pai na luta contra o diabetes, Aníbal foi internado por conta de complicações renais, que culminaram em uma infecção generalizada. "Todos os procedimentos médicos foram realizados, mas infelizmente ele não resistiu", disse. Fonte: Raphael Cortezão - Do Portal Amazônia

Comecei a admirar o Aníbal Bessa, quando eu ainda era adolescente, adorava as suas composições que concorriam aos festivais de música. Passados muitos anos, tive o privilégio de conversar pessoalmente com o poeta, numa confraternização de artistas, promovida pela Edu do Banjo, no Restaurante La Barca; eu estava acompanhando o meu saudoso pai – na ocasião, recebi um CD autografado do Aníbal – Maravilha! Nos eventos musicais do Bar do Armando, a presença do artista era fundamental – assisti aos vários shows do querido poeta – Certa noite, passei horas e horas ouvindo o poeta falar das suas travessuras, da sua infância e adolescência, no Largo de São Sebastião.

Valeu poeta, cumpriste maravilhosamente bem a tua missão aqui na terra! Com certeza, irás dar andamento as tuas obras, no lado belo do andar de cima!

Postar um comentário