segunda-feira, 17 de agosto de 2009

FIGURA DE MANAUS: LAURO GOIABA


Antes da explosão demográfica da cidade de Manaus, a grande maioria dos habitantes se conhecia (saudades da nossa Manaus antiga!); os considerados mais folclóricos ou “figuras” eram bastantes populares por todos os moradores, existiam muitos, os mais notórios da minha época eram: Lauro Goiaba, José Aquino Carapeta, Boca de Bilha, Eurico do Galo Gay, Peixeiro do Guarany, Jaú Mão Boba e a Carmem Doida.

Dos citados, o que eu conheci e convivi, foi o senhor Lauro, conhecido por todos como “Goiaba”, não sei informar o porquê do apelido – foi meu vizinho, na Rua Igarapé de Manaus, era também um grande amigo do meu saudoso pai; trabalhou durante anos na antiga Cosama, conhecida também por “Colama”, empresa que cuidava do sistema de águas e esgotos do Amazonas; a sua função era de encanador (consertava os canos danificados da cidade), mesma após a merecida aposentadoria, continuou exercendo o seu oficio para os seus inúmeros clientes em Manaus.

Apesar de ser um excelente profissional, não era famoso somente pela sua bela profissão, mas sobretudo por ser um torcedor "roxo", ou melhor, "azul até a alma" pela equipe futebolística Nacional Futebol Clube e, pela paixão pelos carnavais de rua de Manaus.

A sua residência sempre foi pintada de azul e branco; a bandeira do “Naça” ficava no alto de um grande mastro; as suas filhas, conhecidas por “As Goiabetes”, eram as torcedoras mais calorosas e animadas, nos dias em que o time jogava; os seus filhos foram grandes jogadores, do Nacional, é claro! Nunca vi um torcedor tão fiel ao seu time, nunca perdeu um jogo sequer, quando a peleja era na capital do Amazonas; nos dias de clássico Nacional (Leão da Vila) X Rio Negro (Galó Carijó), a festa começava bem cedo: reunia todos os vizinhos para um “birinaite”; utilizava uma parafernália eletrônica chamada de "A Voz do Goiaba", colocava no volume máximo o hino do Nacional, para incentivar todos a irem ao estádio; bancava o transporte, os ingressos, a pinga e a charanga para animar a festa – com todos esses incentivos, não dava para recusar a assistir ao jogo de futebol.

Além do Nacional, outra grande paixão do Goiaba era o carnaval de rua, ninguém conseguia suplantá-lo em alegria e descontração; curtiu muito os “Blocos de Sujo” da Avenida Eduardo Ribeiro, além da Banda do Neca, Armando e do 5 Estrelas – as suas fantasias preferida eram a de Pierrô e da Colombina. Durante a semana momesca, gostava de andar de bicicleta, vestido de palhaço, ficava buzinado o dia todo, tudo era festa, tudo era carnaval! Incentivava os meninos, as meninas, os rapazes e as moças, também os velhos e as velhas a bricarem a folia de carnaval! Que figura, mano!

Acredito que o Goiaba já passou da casa dos oitenta, está passado da hora do Nacional Futebol Clube e a Secretaria de Cultura do Estado do Amazonas, fazerem um bela e justa homenagem ao grande torcedor e folião Lauro Goiaba.
Postar um comentário