segunda-feira, 27 de julho de 2009

AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA A IMPLOSÃO DO ESTÁDIO VIVALDO LIMA

A Secretária de Planejamento do governo do Estado do Amazonas está convocando as entidades, pessoas ligadas ao esporte local, empresários, arquitetos, engenheiros e formadores de opinião, além da sociedade civil, para participarem de uma Audiência Pública para ouvir a opinião pública sobre a implosão do Estádio Vivaldo Lima, tendo em vista a construção da Arena Multiuso para a Copa de 2014.

Existe divergência de opiniões, a grande maioria não aceita a implosão, pois alegam que com a reforma do Estádio Vivaldo Lima, haverá uma enorme economia que poderiam ser usados na atenção das carências da população. Outros são favoráveis à implosão – segundo a historiadora Etelvina Garcia “São quase quatro décadas de história e as coisas são assim, termina um capítulo e se inicia outro”. Acho muito esquisita essa declaração da Etelvina, logo ela que é uma fervorosa defensora do nosso patrimônio público.

Para que os senhores tenham uma idéia, o projeto do novo estádio terá 46 mil lugares e foi elaborado pela empresa de arquitetura alemã GTW, a sua execução custará aos cofres públicos a bagatela de R$ 580 milhões.

Segundo os técnicos da SEPLAN a Arena terá a seguinte concepção:"O projeto do estádio procurou uma solução altamente eficiente e funcional, preenchendo todos os requisitos da FIFA e ainda provendo uma imagem muito característica que pudesse refletir a identidade única de Manaus e da Região Amazônica. Inspirado na fascinante diversidade e formas da Floresta Amazônica, o projeto do estádio foi desenvolvido de acordo com os conceitos mais avançados em arquitetura sustentável. O uso de tecnologias inovativas e conceitos como o reuso de águas, resfriamento geotérmico, uso de bioetanol e ventilação natural irão auxiliar tanto na redução dos consumos energéticos quanto no nível das emissões. Para esta finalidade, temos definido um programa de medidas e metas.
Algumas destas medidas e as metas são listadas a seguir:
-Certificação de acordo com o LEED do Conselho de Prédios Verdes dos EUA
(US Green Building Council) e do Conselho Prédios Verdes do Brasil.
-Apreciação dos requisitos da Meta Verde (Green Goal)
-Utilização de sistemas de economia de água
-Utilização de águas de chuvas, infiltração de águas pluviais
-Trocadores de calor altamente eficientes
-Uso da luz do dia
-Simulação de edifício dinâmico
-Sistemas de iluminação altamente eficientes
-Ventilação e refrigeração natural
-Refrigeração Pré-livre
-Uso de energia geotérmica
-Sistemas de controle de edifícios inteligentes
-Planejamento considerando o ciclo do custo de vida”
.
Maravilha! Que Lindo! Porreta! Geniaaal! Desculpe a minha pergunta: E o Povo como fica? Vai dançar de novo na "BICA do Armando"!

Não sou contra o progresso e ao desenvolvimento da nossa cidade, no entanto, não sou a favor dos projetos faraônicos, construção de verdadeiros elefantes brancos e desperdícios de dinheiro público; enquanto isso, na terra de Ajuricaba, o povo ainda passa fome, sem água encanada na maioria das residências, poucas escolas, professores mal remunerados, por aí vai! Vamos participar da Audiência, mostrar para o governo que chega de empurrar de goela abaixo os seus projetos mirabolantes. O povo sempre deverá vir em primeiro lugar! Não à implosão do Estádio Vivaldo Lima!
Postar um comentário