quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

AMAZONENSES! (II)

O Governador Gilberto Mestrinho todas as vezes que fazia os seus discursos políticos, iniciava assim: Amazonenses! Pois bem, utilizei este mote para o título da postagem, pois, a minha intenção é de homenagear alguns amigos, colegas ou conhecidos, colocando a fotografia e escrevendo um pouco sobre eles – a ideia é fazer várias séries.

KLINGER PENINHA – Cantor, músico, professor de inglês, estatístico e analista de sistemas. Trabalhou por muitos anos no setor de câmbio do London Bank. Mora no Conjunto dos Jornalistas desde 1981. Um dia, ao passar pelo Largo da Matriz, uma cigana leu a sua mão e, disse que ele iria casar dez vezes! Dito e feito! Ele está na décima mulher! Sempre foi um boêmio, adorava cantar e tocar violão nos bares de Manaus. Na sua juventude, adquiriu um carro antigo e, gostava de ir aos finais de semana ao putueiro Saramandaia – num certo dia, o seu automóvel começou a “dar prego”, passou a madrugado empurrando o carro e, nada! Ficou tão puto que, resolveu jogá-lo fora, deixou os documentos e nunca mais voltou ao local. Ele sofreu um AVC, teve algumas sequelas, mas, a cada dia melhora o seu estado de saúde.  


MANOEL CRUZ – morou por muitos anos no bairro da Glória, nos tempos gloriosos do Campo da Colina – trabalhou por mais de vinte anos no Grupo Simões (leia Coca-Cola), contribuindo em muito para o crescimento e solidificação desse empreendimento empresarial. É uma pessoa extremamente elegante, adora colecionar relógios. A sua família possui uma tradição em atuar em padarias, tanto que ao sair da empresa em que trabalhava, revolveu seguir a mesma profissão do seu saudoso pai e, montou a sua própria padaria, contando com o apoio da sua esposa, a Dona Rosa, trabalhou muito e penou um bom bocado – após a formatura dos seus dois filhos homens, o Marcelo e o Jean, eles foram somar esforços com os pais. Hoje, a Santa Rosa é uma grande empresa de panificação, fornecendo uma gama de produtos alimentícios, tendo como clientes grande parte das empresas do Distrito Industrial. Ele já fala em se aposentar, deixando a administração para os seus filhos – com certeza, no futuro, os netos irão trabalhar no mesmo ramo do Cruz, pois é tradição da família. 

Amazonenses! É isso ai.

Fotografias: Rocha

Postar um comentário