domingo, 22 de janeiro de 2012

NAS ONDAS DO RADIO




A radiodifusão conhecida simplesmente como rádio - consiste na emissão e transmissão sonora por meio de ondas radioelétricas -, segundo a física, ela se situa na frequência de 3khz a 300ghz (as famosas ondas hertzianas); em 1896 o italiano Guglielmo Marconi, patenteou o primeiro aparelho transmissor sem fios; passados todos esses anos, mesmo com o advento da internet, onde existem milhares de rádios online, ainda continua o hábito de se ouvir pelo aparelho de radio a emissora preferida.

A primeira emissora de radio do Brasil foi inaugurada em Recife, em 1919, mas, o pai da radio foi o Roquete Pinto. No Estado do Amazonas, a segunda metade da década de 50, ficou conhecida como a época de ouro da radio amazonense, com apresentações do Carlos Simões, Katia Maria, Sheila Maria, Maria das Dores, Estevão Santos, Izinha Toscano, Simas Vieira, acompanhados por exímios instrumentalistas, como Olavo Santana, Domingos Lima e Máximo Pereira. A radio Difusora do Amazonas, uma emissora tradicional da nossa cidade, mostra em seu site toda a sua história, por não dizer, a própria história da radiodifusão no nosso Estado.  http://jmartinsrocha.blogspot.com/2009/02/radio-difuso-do-amazonas-homenagem-ao.html

Na minha infância e adolescência, tínhamos somente um rádio a válvulas, sendo a única forma de entretenimento que a minha família tinha em casa, por sinal, traz muita saudade, apesar de toda a parafernália tecnológica que possuímos hoje.

Infelizmente, o nosso radio a válvulas teve um paradeiro incerto e não sabido, mas, consegui guardar como lembranças do meu saudoso pai, um aparelho de radio/cassete da Sharp, ele deve ter uns vinte e cinco anos e, continua funcionando normalmente, esporadicamente ouço alguns noticiários matutinos da Difusora, Amazonas ou da CBN, além de curtir fitas cassetes do Jesse, Antônio Marcos e Tim Maia (foram doadas por um amigo do Bar Caldeira).

Nos tempos atuais, as pessoas podem ter todos os tipos de diversões sem sair de casa, assistindo a filmes em alta definição, programas ao vivo de rádio de qualquer local do mundo, shows televisivos a cabo ou com antenas parabólicas, com equipamentos dos mais avançados possíveis e, contando com a internet para interagir com pessoas em qualquer local do nosso planetinha azul.

Na realidade, a difusão pesada do marketing das indústrias eletrônicas, criam necessidades passageiras para os consumidores ávidos por coisas novas, alimentando um setor onde gira a maior parte da economia mundial.

O consumidor empanturrado de home teatro, DVD/Bluway, iphone, ipad, idisso e idaquilo, com o passar do tempo, acaba deixando de lado esses brinquedinhos caríssimos e, voltando a ouvir os seus programas preferidos no radinho de cabeceira ou sintonizando as ondas de radio do seu carro – tecnologias de ponta também cansam!

As cidades estão cada vez mais travadas no trânsito, com milhares de carros sendo emplacados todos os dias, ocasionando um estresse sem tamanho aos condutores – qual a solução para tirar o tédio de longas horas dentro de um carro? Ouvir um programa humorístico de radio, é claro! Os humoristas estão faturando alto na hora do rush! Em Manaus, temos o Márcio Braga, Pukeka Di Caprio, Caboclo Abdias e as pegadinhas do Munção mandando ver.

As rádios não se detêm somente em executar os programas dentro dos estúdios, correm para a área externa, vão as ruas, com carros envelopados e com equipamentos sofisticados, levando a programação para diversos lugares da cidade; ficam plugadas na internet e nas redes sociais; promovem bandas de carnaval e shows com artistas consagrados; muitas delas inovam com a programação exclusiva de notícias ou de músicas, algumas estão mesclando o programa matutino de rádio com a televisão.

No interior do interior do nosso vasto Estado do Amazonas, a radio possui um papel fundamental, levando notícias e entretenimento aos mais longínquos lugares, com as ondas do  rádio da Difusora, Cultura e Rio Mar de Manaus ainda mantendo a sintonia da AM (amplitude modulada), com um trabalho mais voltado para o lado social, pois não traz retorno financeiro as empresas privadas. 

Um causo para descontrair: nas ondas de uma radio AM do Amazonas, foi mandada uma notícia para uma interiorana:- Alô, alô, Dona Conceição, do Lago do Purupuru! O seu marido manda avisar que ele vai demorar a chegar, pois um pau atravessou bem na Boca do Periquito, para a senhora não ficar preocupada ai, pois ele vai continuar a viagem de barco, assim que o pau sai! Abraços e beijos, Afonso!

E isso ai, mano velho! As ondas do radio irão continuar por longos e longos anos, quiçá até os fins dos tempos.                
Postar um comentário