sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

PROFESSOR JOSÉ REZENDE


Na última quarta-feira, tive a grata satisfação de encontrar o professor José Rezende, ele estava acompanhado com os familiares, passeando pelo Largo de São Sebastião, tomei a iniciativa de cumprimentá-lo e fazer uma breve homenagem, falei o quanto ele contribui para a nossa cultura, sendo pioneiro na abertura de uma escola de balé clássico em Manaus.

O professor Rezende abriu em 1971, a sua escola, chamada Academia De Ballet Prof. Resende Ltda., situada na Rua Dez de Julho, 491, centro de Manaus, funcionou durante todos esses anos, formando milhares de jovens, na arte da dança.

No ano passado, o jornal eletrônico D24AM, fez a seguinte matéria: José Rezende abriu sua escola de balé em Manaus em 1971. “Ele formou grandes profissionais da dança do Amazonas”, disse a bailarina Ana Mendes, integrante da diretoria da Associação dos Profissionais de Dança do Amazonas (Aprodam), que foi sua aluna nos últimos anos da década de 1980. As duas vezes que a bailarina carioca Ana Botafogo veio dançar em Manaus foi por iniciativa de José Rezende. No espetáculo de abertura que ela protagonizou domingo na abertura do FAD no Teatro Amazonas, ela lamentou a ausência do professor. E ontem, quando ainda estava em Manaus, falou à reportagem sobre o homenageado. “Fico feliz de ele estar sendo homenageado agora. Ele que dedicou sua vida para colocar a dança em evidência. Graças aos frutos que ele plantou no passado agora estão conseguindo poder fazer este festival que engloba muitas formas de dança”, disse Ana Botafogo. Ana Mendes se lembra do incentivo do professor, quando estava prestes a aprender a dançar de sapatilha de ponta. “Ele dizia: tente, vai conseguir. Não desista. Você é uma excelente profissional".

O Portal Amazônia fez os seguintes comentários sobre a atuação do professor Rezende: A história do professor José Rezende se confunde com a história da dança no Estado Amazonas, de onde ele saiu muito jovem para realizar o sonho de se tornar um grande bailarino e para onde voltou com um sonho ainda maior: colocar o seu talento e o conhecimento, adquirido nos melhores de centro de formação do mundo, a serviço de sua própria terra, onde trabalhou durante 30 anos com crianças e jovens para formar as gerações de dançarinos que o sucederam. “Com seu estilo ousado, irreverente e incisivo, José Rezende tornou- se um verdadeiro Mestre e jamais será esquecido. Sua paixão e devoção à dança são incomparáveis”, afirma a pianista Jerusa Mustafa, que sempre o acompanhou.

O Rezende chegou aos 84 anos de idade, está com a sua saúde um pouco debilitada, ele tem duas pontes de Safena e é asmático, mas, nada tira a sua alegria de viver, bem que a Secretaria de Cultura do Amazonas poderia reativar a Escola do Rezende, seria uma bela homenagem a esta pessoa que tanto trabalhou pela cultura da nossa terra. É isso ai.

Postar um comentário