sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

PORTO DE MANAUS - RODWAY


O Porto de Manaus foi construído pelos ingleses, no inicio do século XX, através da empresa Manáos Harbour Limited, tinha uma forma de “T” com uma ponte com 200 metros de comprimento e 20 de largura, foi inaugurado em 1907, sendo considerado o mais original do Brasil, construído em cais flutuante, acompanha o nível das águas do rio Negro.

Sou um legítimo “caboco”, a pronúncia correta é caboclo, também chamamos de “Ródo” para o aportuguesamento do Roadway – lembro da minha infância, quando o meu pai me levava para passear no cais do porto, maravilha! 

Para quem conhecia somente canoas e pequenos barcos regionais, ter a oportunidade de ver barcos enormes, de grande calado, sentia uma mistura de medo e prazer em visitar aquele lugar. Passados muitos anos, a minha relação com o porto de Manaus ainda é muito intensa, gosto de tirar fotografias nas enchentes e vazantes do Rio Negro, frequento a praça de alimentação, gosto de embarcar em voadeiras para o outro lado do rio, fico sentado admirando toda aquela beleza do porto e do nosso rio.

Em 2001, o nosso porto foi privatizado, um acordo entre o governador Amazonino Mendes (mau menino de novo na área!) e o ex-senador Carlos Alberto Di Carli (vixe!), na época era o presidente da SNPH, fizerem uma licitação relâmpago (por debaixo do pano) – moral da história: tomaram conta do porto e provocaram uma forte onda de destruição no patrimônio público – todo um quarteirão foi destruído, deixaram somente as fachadas de casas do início do século passado, os armazéns agora são Lojas Americanas! – o Ministério Público e o Instituto do Patrimônio Histórico dormindo no ponto!

Atualmente, está interditado pela 9º. Distrito Naval, em decorrência de problemas estruturais; a Marinha do Brasil apresentou laudos técnicos mostrando os seguintes problemas: graves problemas estruturais que oferecem riscos à segurança da navegação e à salvaguarda das pessoas e que está sendo consumido pela ferrugem e pela falta de manutenção, com comprometimento das vigas de sustentação do cais, furos nas boias e precariedade das amarras do sistema de ancoragem. 

O diretor do porto, Alessandro Bronze, contestou os laudos “O Porto está seguro, a Marinha tira fotos pontuais e diz que está inseguro” – Esse sujeito chegou de pára-quedas aqui em Manaus, um forasteiro, pense num cara-de-pau! 

Desde o dia 12 de novembro, a operação no Cais das Torres é mantida por meio de uma liminar, no Rodway somente é permitida a atração de barcos regionais e de pequeno porto.

É isso...

Postar um comentário