segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

OS BONDES DE MANAUS


Segundo os historiadores Genesino Braga e Robério Braga, Manaus foi a terceira capital do Brasil a ter os Bondes (1899), sendo a primeira, a cidade do Rio de Janeiro (1892) e, a segunda, a cidade de Salvador, Bahia (1897), no entanto, em Manaus, eles já circulavam desde de 1896, cobrindo eficientemente um total de 20 quilômetros, portanto, Manaus foi considerado, oficiosamente, a segunda cidade da América do Sul a ter este tipo de transporte urbano.

As primeiras linhas foram: Flores, Cachoeirinha, Plano Inclinado, Avenida-Circular, Circular-Cachoeirinha e Saudade, depois, foram inauguradas as linhas Remédios e Adrianópolis. No auge, em 1906, circulavam 19 carros a serviço da população, sendo o “Amazonas”, de uso exclusivo do governador do Estado.

O mais charmoso era o chamado “Saudade”, era moda passear neste bonde, o seu trajeto era da Praça Oswaldo Cruz, Praça 15 de Novembro, 7 de Setembro, Eduardo Ribeiro, 10 de Julho, Ferreira Pena, Praça da Saudade, Instalação, 7 de Setembro, em direção à Praça D. Pedro II, Rua Governador Vitório, Tamandaré e Estação.

Não tive a felicidade de andar de bonde em Manaus - segundo a Soraia Magalhães “deixaram de trafegar em 1957, contra a vontade da população, deixando grande saudade naqueles que viam nas engrenagens da antiga companhia inglesa um eficiente e barato meio de locomoção, assim como um alternativa a mais em termos de transportes coletivos”.

O Dr. Robério Braga, atual Secretário de Cultura do Amazonas, elaborou um projeto para a reativação dos bondes, a idéia é preparar o centro antigo da cidade para receber este equipamento; este projeto está engavetado, conseguiram somente recuperar alguns metros dos trilhos, no entorno da Praça de São Sebastião, colocaram uma réplica de um bonde, no Largo de Sebastião, depois retiraram, está em lugar incerto e não sabido  – lembrei da letra de uma música do compositor/cantor Lúcio Bahia ”... um bonde parado é sem graça, mas o motorneiro é São Sebastião...”

Vamos esperar, quem sabe com a revitalização do centro, em decorrência da Copa de 2014, teremos de volta o Bonde da Saudade. É isso..

Postar um comentário