terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

ARARA-CANINDÉ NOS CÉUS DE MANAUS



Sou da urbe, vivi décadas em minha cidade Manaus, considerada a capital da Amazônia - por incrível que pareça, somente tinha visto Araras em cativeiros - nos últimos anos, tenho o prazer e a felicidade em vê-las sobrevoando os céus da Cidade Nova e nos arredores do Conjunto dos Jornalistas. 

Andam em pares, pois são casais que ficam juntos ate que a morte os separe. 


Segundo a Wikipédia “Etimologia "Arara" provém do tupi a'rara. "Canindé" é oriundo do tupi kanimé. "Arari" provém do tupi ara'ri

Descrição

Os indivíduos desta espécie pesam cerca de 1,1 quilogramas e chegam a medir até noventa centímetros de comprimento, com partes superiores azuis e inferiores amarelas, alto da cabeça verde, fileiras de penas faciais negras sobre o rosto glabro e branco, olhos de íris amarela e garganta negra. Têm uma longa cauda triangular, asas largas, um bico escuro grande e forte e as típicas patas zigodáctilas dos psitacídeos, com dois pares de dedos opostos, o que lhes dá grande destreza para escalar árvores e manipular os alimentos. Seu grito típico é um RRAAAAK gutural e áspero com entonação ascendente, mas podem produzir diversas outras vocalizações mais anasaladas e musicais".


Isso é muito bom, em tê-las de volta, pois a legislação é muito severa em sua proteção, bem como, as novas gerações possuem uma formidável consciência ambiental, além de ainda existirem alguns fragmentos de florestas, onde elas encontram abrigo, alimentos e podem ate se reproduzir. 


Podem ser encontradas, também, em bandos, no Conjunto Acariquara, Campus da UFAM e Museu da Amazônia (Cidade de Deus) e, alguns casais, passeando pelo centro da cidade.


Segundo o Mário Cohn-Half, pesquisador do INPA “as araras-canindé começaram a aparecer, em grande quantidade, em Manaus, em outubro do ano passado. Não da para saber o que trouxe essa espécie de arara, que não aparecia na cidade há pelo menos dez anos ou mais. Esse é um evento misterioso. Não está claro se o que estimula é a abundância de alimento onde aparecem ou a escassez em seu lugar de origem ou as duas coisas juntas”, observou.


Quem venha as Araras, serão bem-vindas, afinal, somos todos filhos da floresta!

Fonte  Foto:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Arara-canind%C3%A9 
Postar um comentário