terça-feira, 6 de outubro de 2015

ESCREVENDO EM LINHAS TORTAS


Na minha infância e adolescência sempre tive dificuldades em assimilar as aulas de Língua portuguesa - manuseava com pouca frequência a gramática, usei muito pouco os dicionários e li poucos livros, tinha tudo para ser péssimo em redação e, sou até os dias atuais.

Pois bem, com o passar do tempo, comecei a tomar gosto pela coisa, ousei em escrever para as mídias sociais, sendo o editor de um blog.

Em decorrência do meu parco preparo no ensino médio e fundamental, sinto muitas dificuldades para escrever “corretamente” a nossa língua mater.

Mesmo assim, possuo duas linhas ao escrever para o blog e no facebook, o que parece estranho para muitos leitores.

Uma dela é “da rede rasgada”, onde misturo “tu com você”, embolando gírias, amazonês e até pornografias!

Na outra, procuro de todas as formas utilizar a nossa língua culta, tentando obedecer a gramática; faço pesquisas em livros, jornais e internet; utilizo dicionários “on line”, além de editor de textos.

Recebo poucos elogios e muitas críticas sobre a minha forma de escrever – na realidade, sou uma pessoa muito observadora do dia a dia, gosto de ler sobre a história da minha cidade Manaus e tenho inspiração para escrever rápido e sem parar sobre esses assuntos.


Entendo que o mais importante é a mensagem e o conhecimento que é passado aos demais, apesar da forma de apresentação ser muito importante – por exemplo, esse texto está cheio de imperfeições, mas, vou escrevendo em linhas tortas. É isso ai.
Postar um comentário