quarta-feira, 26 de setembro de 2012

ARSA - ASSOCIAÇÃO RECREATIVA DOS FUNCIONÁRIOS DO SOUZA ARNAUD


A empresa Importadora Souza Arnaud (linha branca, móveis e motores de centro e de popa), propriedade dos irmãos James e Douglas Arnaud de Souza Lima - a matriz estava localizada na Rua Marechal Deodoro, centro de Manaus - na década de 70, foi fundada uma associação dos funcionários, denominada ARSA, com a sede campestre situada na Avenida Efigênio Sales (antigo V8), ao lado do Clube Guanabara.

Participei da primeira Assembléia Geral, para aprovação do Estatuto e eleição da Diretoria Executiva e dos Conselheiros.

Em 1978 ingressei na faculdade, fui estudar Administração de Empresas, cursei o primeiro ano no ICHL (atualmente faculdade de Direito da Uninorte), por força do destino, voltei a estudar no mesmo local depois de 30 anos (o meu curso de Direito está, atualmente, tancado)! Na época tive oportunidade de conhecer muitos ambientalistas; participei de uma ONG que tratava dessas questões (as reuniões aconteciam na Casa dos Estudantes, na rua Barroso) e, também direcionava a suas atenções no desenvolvimento social, cultural e econômico da nossa Manaus.

Em decorrência da participação nesses movimentos sociais, fiquei muito interessado na ARSA; fui diversas vezes Diretor Cultural, implantei um jornal de circulação interna – o CIRCULANDO - por último, fui votado para a presidência da Diretoria Executiva; por algum tempo fui discriminado pela Diretoria da empresa, em decorrência de ter peitado os poderosos que mandavam e desmandavam na Associação e, ainda por ser muito jovem.


Passei por um teste de fogo: fazer um planejamento e executar a Festa de Confraternização dos funcionários; não foi fácil, mas conseguimos; para se ter uma ideia, a festa era regada de três quartos de boi e cincoenta grades de cervejas, muitos refrigerantes, bolos, além da distribuição de muitos brindes, shows musicais, brincadeiras, jogos, etc. para um público aproximado de 500 pessoas, incuindo os funcionários e seus familiares; a outra festa era comemorada no Depósito Central, estava localizado onde existe o Condomínio Efigênio Sales.

A ARSA era dos funcionários do Souza Arnaud, porém todos os membros das outras empresas participavam de alguns eventos, dentre deles, o famoso torneio de futebol de campo, composto de aproximadamente 20 times, não era fácil administrar, tamanha a envergadura do evento. O campo de futebol possuía uma poderosa iluminação, permitindo o aluguel para a prática do esporte na parte noturna.


Todos os finais de semana tinha festa – muitas bandas passaram por lá, lembro da Banda de Metais (jamaicanos que tocavam somente em camburões); o nosso sistema de som era de primeira qualidade, constituída de possantes caixas acústicas, força, tape deck de rolo, pratos, etc. todos da marca AKAI, com uma infinidade de discos de vinil. O nossa bar era tocado pelo Serra e a Dona Inalda; tudo era fiado, no final do mês a coisa pegava!


Acredito que melhor mesmo era tomar banho no igarapé que passava no nosso terreno, o famoso Igarapé do Mindú, o mesmo que banhava o Parque 10 de Novembro; infelizmente, na década de 80 ficou poluído, tínhamos que se contentar com os banhos de chuveiros, uma pena!


Faz bastante tempo, mas tentarei lembrar de alguns colegas daquele tempo tão bonito das nossas vidas: Jorge Cordeiro, Adelson Cordeiro, Conceição Kramer, Sebastiana, Cabralzinho, José Carlos, Agenor Braga, Cleidir, Antonio Folhadela, Domingos, Bosco, Reis, Celina, Sildete, João Lambança, Gricelda, Antonio da Contabilidade, Carlos Pernambuco, Henrique Martins, Emilio, Nobre, Melo, Plínio, Joãozinho, Raimundinho, Compadre Alberto, dentre outros.


A Arsa ainda continua na nossa mente, lembranças somente lembranças, o tempo passa, o tempo voa!
Postar um comentário