quarta-feira, 10 de agosto de 2011

NOTÍCIAS DE MANAUS

Manaus, mês de agosto, para alguns, do desgosto, sei não, mas, as notícias da nossa cidade têm muita coisa de ruim e, algumas boas. Vamos lá:

O famigerado projeto de mobilidade urbana “monotrilho” foi aprovado na comissão de licitação do Estado, todos sabem, menos o governador do Amazonas, que se faz de mouco e birrento, pois este sistema é caríssimo, desastroso e não funciona, mesmo assim, vai ser implantado em Manaus, falta apenas o governo federal liberar os iniciais oitocentos milhões de reais. Agora, pasme, a obra está prevista para ser concluída somente para o ano de 2016, dois anos depois da realização da Copa do Mundo! Imagine a loucura em que ficará a Avenida Constantino Nery, com obras para todo lado em plena realização dos jogos, o trânsito caótico de hoje, vai ficar travado naquele ano. Ninguém quer esta obra, ele irá desfigurar o centro histórico de Manaus, não vai servir para nada!

Pegou mal o destombamento do fenômeno “Encontro das Águas”, o governo do Estado comenta que não é contra, mas foi ele que entrou com a ação na justiça federal, alegando que não foram feitas as devidas audiências públicas. O juiz federal Dimas Braga, declarou que “é totalmente a favor da integral proteção geográfica, geológica, hídrica e cultural do Encontro das Águas”, por outro lado, declara “o tombamento como foi feito, não estabelece claramente se é possível um determinado empreendimento ser realizado naquele lugar”. Todos eles declaram que são a favor da preservação daquele belíssimo patrimônio publico, na verdade, estão beneficiando a Vale do Rio Doce, Grupo Simões (Coca-Cola), Login Logística e Suframa e outros empresários.

Os nossos ancestrais tinham a sabedoria para a utilização do solo, tanto que está servindo para pesquisas avançadas sobre a “terra preta”, considerada uma das mais férteis. Estão no projeto: UEA – EMBRAPA – UFAM – CRPM – MAE-USP – INPA – UFPA – UFSC - UK (USA) e UW (HOLANDA). Eles irão utilizar os conhecimentos da “nanotecnologia” para desvendar como os índios faziam este composto há milhares de anos atrás. Apesar de toda a tecnologia de que dispomos, os nossos interioranos teimam em queimar a mata para efetuar as suas plantações, ocasionando um empobrecimento da terra em apenas três anos, o que o motiva a derrubar mais árvores cada vez mais. Não adianta estudar a terra preta de índio, se não for ensinado o amor à mãe natureza, o respeito ao meio ambiente e ao próprio homem.

O Estado do Amazonas lidera a produção de gás no País, com um volume médio de 11,4 milhões de metros cúbicos por dia. Em principio, pode-se dizer que é uma notícia muito boa para todos nós, no entanto, em nada de prático traz para o povo amazonense, apenas está enriquecendo meia dúzia de empresários, donos da Cicás e da estatal Petrobrás. O gás ainda não chegou às residências e na maioria nos taxis, apesar de já está implantado toda a tubulação na cidade. Algumas indústrias do Polo Industrial de Manaus estão se adequando para receber o precioso gás – as usinas de geração de energia estão em fase final de mudança, trocando a queima do óleo diesel para o gás. Mas, todo este esforço não chegará ao bolso do amazonense, o preço do metro cúbico é alto, a Eletrobrás não vai baixar a tarifa da energia elétrica, e, não vai haver economia para a dona de casa com gás encanado, ou seja, o Amazonas pode bater recordes de produção e o preço do gás vai continuar cada vez mais alto.

Vamos parar de noticiar coisas ruins, pois coisas boas acontecerem na nossa cidade - posso citar: 1. A pressão que os feirantes e a sociedade civil fizeram forçando o Prefeito Amazonino Mendes, retroceder em entregar as feiras e mercados para a iniciativa privada. 2. Vão entrar em circulação mais de mil ônibus novos, porém, com uma tarifa de R$ 2,80. 3. A cabeça do Julio Valente (superintendente do Iphan Amazonas) rolou bonitinho, o cara era contra o nosso patrimônio histórico e artístico, trabalhava na maior cara dura para os empresários sedentos de lucros. 4. Os atletas de ponta ganharão uma ajuda mensal de quatro mil reais, mais do que o dobro dos professores da rede estadual do ensino, mas, toda ajuda é bem vinda, o retorno será daqui dois anos, quando teremos campeões amazonenses nos torneios nacionais. 5. Toda a produção amazonense de borracha tem mercado certo. O látex produzido é vendido para uma usina de beneficiamento de borracha, financiado pelo governo do Amazonas, depois, envia para a fábrica de pneus, implantada com incentivos fiscais, esta atende toda a produção de duas rodas do Polo Industrial de Manaus. É isso.

Postar um comentário