segunda-feira, 7 de setembro de 2009

CABOQUINHA MARIA EDUARDA


Dia sete de setembro de 2009, feriadão da nossa independência, nasce em Manaus, uma caboquinha - da pátria d’água e farinha - a minha sugestão era que deveria chama-se Nely, nome da minha saudosa mãe, mas fui vencido, será batizada com o nome de Maria Eduarda; filha da minha filha, portanto, minha netinha.

Tudo aconteceu muito rápido na minha vida: quando ainda era um jovem universitário, ultrapassei o sinal vermelho, não deu outra, fui o primeiro filho a se casar, a ter o primeiro filho e depois a ter a primeira neta.

Sinto que o circulo da minha vida já passou dos duzentos graus: casei, tenho três filhos, a minha filha mais nova, com apenas 23 anos é formada em Odontologia, além de ser professora auxiliar na UFAM; o mais velho é casado, micro empresário, sua esposa está grávida, será o meu segundo neto; a minha filha do meio fez uma produção independente: a caboquinha Maria Eduarda – agora serei pai-avô.
Agora em diante, terei que trabalhar mais, para criar e dar uma excelente educação para a mais nova princesa do pedaço.
Bem vinda caboquinha Maria Eduarda!
Postar um comentário