sábado, 21 de maio de 2016

LOURIVAL, O PAPAGAIO FALANTE (SATARÊ-MAUÊ)

Lembro-me de várias piadas de papagaio, um tema que era muito popular em décadas passadas – com o passar dos tempos, perdeu a graça – recentemente, ouvi um relato da história do papagaio da cantora Kátia Maria, o Lourival (o nome humano para o Louro), merecedor de ficar registrado para a posterioridade.

Como todos sabem, o papagaio é uma ave que possui uma incrível facilidade de imitar a voz humana – um tremendo tagarela - o louro domesticável que, tempos passados, era criado, normalmente, nos lares dos amazonenses.

O manauara da gema é um gozador nato (descendente de índio e cearense) e, por gostar de falar palavrões, encontrou no papagaio (um repetidor da voz humana) um canal apropriado para dar risadas das obscenidades – inocentemente - pronunciadas pelo “Satarê-Mauê”, o papagaio falante na língua tupi. 
 
Tempos depois, esse hábito de ter os xerimbabos (animal de estimação) foi deixando de lado, em decorrência das legislações mais severas, punindo a criação, em cativeiro, de animais silvestres, consequentemente, caindo em desuso as piadas picantes de papagaio.

Voltando ao papagaio da diva do rádio manauara, a cantora Kátia Maria:

Certa vez, ela foi visitar uma comunidade do interior do município de Maués, no Estado do Amazonas, em companhia de sua filha, a enfermeira Astride Galvão – chegando lá, o que mais chamou a atenção da Kátia foi um papagaio, um cara caladão, um típico cabocão interiorano.

Ela sempre teve a vontade de criar um papagaio, com o intuito de treiná-lo a falar palavras obscenas ou grosseiras, para dar aquelas gargalhadas estridentes, uma das suas características.

Pois bem, a nossa diva falou com os donos da ave, pedindo para liberar o empenado, com a intenção de levá-lo a cidade, onde seria criado no bom e do melhor.

O dono disse:

- Dona Kátia, temos outros papagaios por aqui, porém, esse que a senhora gostou é o único que ainda não conseguiu falar, eu a minha esposa estamos dispostos a doá-lo! Mas, que mal me pergunte: a senhora vai conseguir ensina-lo a falar o quê na cidade?

- Irei ensiná-lo a chamar palavrão, tipo: Caralho! Filho da Puta! Corno! Baitola e outros mais!

A filha da Kátia falou bem baixinho:

- Mami, que mancada! O casal é evangélico! Pode esquecer! Eles jamais irão doar o papagaio para aprender a falar palavrão em Manaus!

A Kátia respirou fundo, pensou e, saiu com essa:

- Mil desculpas ao casal evangélico! Prometo que, caso os senhores tiverem a confiança em mim, jamais e, em hipótese alguma, ensinarei qualquer tipo de palavrão ao louro! Podem confiar!

Dito e feito: o casal aceitou o argumento - o louro foi liberado para morar na cidade de Manaus, na companhia da grande cantora do rádio amazonense.

Para quem não sabe, a Kátia é flamenguista até a alma! Depois do Papagaio, a ave que ela mais gosta é de um Urubu (empanado, é claro).

Logo, resolveu ensinar o Lourival a chamar pelo nome do seu clube do coração:

 - Lourival, meu filho, você vai ser criado na base de uvas chilenas! Tratamento VIP, desde que você aprenda a falar:  Meeennnngggooo! Meeennnngggooo!

Ela é cantora e, por ser treinada na voz, falava “Mengo” em todas as entonações para o louro aprender – a cada resposta positiva, ganhava uns gomos - quando já estava afinado, começou a ganhar um cacho de uvas.

Nas últimas partidas futebolísticas entre o Flamengo e o seu arquirrival carioca, o Vasco da Gama, o falante Lourival acordava bem cedinho e, começava a berrar:

- Meeennnngggooo! Meeennnngggooo!

A Kátia notou que, todas as vezes que o Lourival cantava forte ao alvorecer, o seu time perdia a partida para o Vascão - começou a desconfiar que o seu Louro fosse um traíra, um Vascaíno transvestido de Flamenguista!

- Lourival, fdp, tô só observando a tua malandragem! Você aprendeu a falar Meeennnngggooo na base da uva! Agora, acorda cedo para agourar o Mengo, para perder para o Vasco! Caralho! Vou mandar você de volta para o interior!

Dito e feito: o louro foi engaiolado, liberado e embarcado para a sua cidade natal, Maués!

Foi entregue de volta aos antigos donos, um casal de evangélicos - ao olhar o animal, a mulher falou:

- E ai, meu abençoado, aprendeu a falar alguma coisa na capital?

O Lourival, na bucha, respondeu:

- Meeennnngggooo! Caralho! Vaaassscccooo! FDP!

 O louro foi engaiolado, liberado, embarcado e deportado para Manaus!

Voltou a morar com a cantora Kátia Maria, comendo as suas uvas chilenas e, vez e outra, quando está injuriado, deixa escapulir:

- Meeennnngggooo! Caralho! Vaaassscccooo! FDP!


Esse é o Lourival, o Papagaio falante (Satarê-Mauê). É isso ai.
Postar um comentário