segunda-feira, 7 de setembro de 2015

D. PEDRO I E A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

As tropas do Napoleão Bonaparte ameaçavam invadir Portugal, por ter apoiado a Inglaterra – com medo, o rei D. João veio para o Brasil, com a sua família e muitos nobres, contando com a proteção armada dos navios ingleses.

Primeiro, desembarcou na Bahia, era o ano de 1808 - indo depois, para o Rio de Janeiro, onde ficou em definitivo, instalando a sede do seu governo.

Os ingleses forçaram o D. João a abrir os portos brasileiros a nações amigas – na realidade, abriu somente para a Inglaterra, que inundou o mercado brasileiro de produtos “Made in England”, acabando com o monopólio de Portugal.

Criou o Banco do Brasil, instalou tribunais de justiça, fundou a Academia Militar e da Marinha, o Jardim Botânico, a Biblioteca Nacional, dentre outros.

Em 1815, elevou o Brasil a Reino Unido a Portugal, passando de colônia para sede, uma situação incomum para os portugueses.

Em 1820, houve uma revolução vitoriosa em Portugal, onde foi criado a Cortes de Lisboa, com o objetivo de recolonizar o Brasil, reconquistando os antigos privilégios comerciais da burguesia portuguesa.

Em 1821, D. João VI foi obrigado a voltar a Portugal, para não perder o seu trono, deixando no Brasil, o seu filho D. Pedro, o herdeiro da Coroa.

As  Cortes tomaram varias medidas para enfraquecer a autoridade de D. Pedro, indo contra aos interesses econômicos de grandes empresários brasileiros – estes apoiaram o príncipe para que ele desobedecesse as ordens vinda de Portugal.

As Cortes desejavam que D. Pedro retornasse a Portugal, para acabar totalmente com a sua autoridade no Brasil e, em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro declarou solene: Como é para o bem de todos e felicidade geral da nação, estou pronto: diga ao povo que fico.

Com essa decisão, nenhuma determinação de Lisboa seria executada sem que recebesse o “Cumpra-se” de D. Pedro.

As Cortes de Lisboa continuaram adotando medidas para enfraquecer D. Pedro, o que culminou com uma reação política a essas medidas, quando em 7 de Setembro de 1822, em São Paulo, foi proclamado por D. Pedro, a independência do Brasil.

Ao retornar a cidade do Rio de Janeiro, em 1 de Dezembro de 1822, D. Pedro foi aclamado imperador e coroado como D. Pedro I.

Fonte: História do Brasil – Um olhar crítico – Gilberto Cotrim – Editora Saraiva










Postar um comentário