sábado, 29 de novembro de 2014

OS NOSSOS PERIQUITOS, PAPAGAIOS E ARARAS URBANOS



A cidade de Manaus sempre foi um “pingo no oceano de floresta”, uma merreca de onze mil quilômetros quadrados, localizada no centro da maior floresta tropical do mundo, dentro do Estado do Amazonas, com um milhão e meio de Km2, porém, rica em aves urbanas.

Na minha infância, presenciava o cantar de centenas de pássaros, muitos deles nas gaiolas de passarinheiros – com exceção dos periquitos, papagaios e araras, considerados animais “exóticos”, vendidos a “peso de ouro” no Mercado Adolpho Lisboa – criados como animais de criação, conhecidos como “xerimbabos”.

Era muito difícil vê-los soltos na natureza, pois eram implacavelmente caçados – os mais jovens gostavam de ostentar o troféu quando conseguia balear algum deles.

Pois bem, o tempo passou, a legislação ambiental ficou duríssima com essa prática, além da nova geração de pessoas terem uma visão mais protetora desses animais.

Atualmente, eles vivem em bandos dentro da cidade, fazendo a festa nas mangueiras e arredores da cidade. Já presenciei alguns deles na fachada do Teatro Amazonas e na torre da Igreja de São Sebastião, fazendo alegria para o mundo ver.

Com relação às Araras, sempre vejo alguns casais passeando pela Zona Norte da cidade (Cidade Nova e Nova Cidade), pois ainda são muitos arredios, preferindo morar nas florestas da Reserva Ducke. 

Que linda a natureza e os amimais, mas, ainda existem alguns debiloides FDP que não gostam do “barulho” que esses animais fazem e, colocam veneno para matar alguns deles, no afã de terem mais “sossego” em suas residências! Pense numa “fuleiragem” dessa!

Pois é, mano velho, a natureza é sábia, caso você trata-la muito bem, ela vai encher os teus olhos de alegria e felicidade, caso contrário, irá mata-lo lentamente! Podes crer! É isso ai
Postar um comentário