quarta-feira, 12 de novembro de 2014

THE NEW ROADWAY


Depois de longo e tenebroso inverno, o Porto de Manaus (Roadway) está quase totalmente pronto para ser entregue a população, mas, poucos sabem que grande parte dele já está liberada para visitação pública – aproveitei essa brecha para fazer uma caminhada por lá e tirar fotografias.



 Esse porto já sofreu muito nas mãos de políticos safados – o Amazonino, na qualidade de governador do Amazonas, aprontou mais uma das suas e, entregou “de mão beijada” para a família Di Carli, que administrou por anos, destruindo parte das instalações portuárias, além fechar por tempo indeterminado o Museu do Porto e demolir prédios históricos do seu entorno.



Para completar, tentou de todas as formas transformar o Porto de Manaus em um grande “Camelodrómo”, não conseguindo tal intento por forças da brilhante atuação do Ministério Público.



Depois de muitas brigas, o DNIT conseguiu reaver a administração do Roadway e, tentou implementar uma revitalização e modernização, porém, o Tribunal de Contas da União (TCU) encontrou um sobrepreço na ordem de 4 milhões de reais, forçando a construtora J. Nasser a baixar de 75 milhões para 71 milhões de reais.

Em decorrência dessa mutreta, houve um atraso no inicio das obras em um ano e, o que era para ser entregue em junho, na Copa do Mundo, somente agora está sendo devolvido a população.

Aliás, tem muita gente com os bolsos cheios de reais, com as obras da Arena da Amazônia, Aeroporto Internacional de Manaus, Porto de Manaus, Mobilidade Urbana e outras mais – são os que eles chamam de “legado” da Copa do Mundo!


Voltando ao nosso Roadway – houve um acompanhamento do IPHAN em todo o processo, com a retirada de uma passarela lateral, além da volta da “Praça dos Ingleses” de outrora.



Houve a abertura dos tapumes que separavam a Casa de Leitura Thiago de Melo (antigo Tesouro do Estado, onde nasceu Manaus), Píer (com os passáros mergulhões morando por lá) e o Armazém Quinze – essas obras se arrastam por anos e, foram gastos mais de 10 milhões de reais, porém, a biblioteca com todo o acerco comprado do nosso poeta maior (custou 1 milhão) ainda está fechado ao público.




Apesar de todos os desacertos e roubalheiras, o lugar é muito bonito para passear – vamos esquecer um pouco e curtir o novo Roadway. É isso ai.

Fotos: Rocha
Postar um comentário