quinta-feira, 27 de novembro de 2014

SECOS & MOLHADOS

BLACK FRIDAY – Acontece na última sexta-feira de Novembro. É uma expressão em inglês, significando “Sexta-Feira Negra”, em oposição ao “Dia de Ação de Graças” dos americanos. As lojas preparam descontos muito atrativos, levando multidões aos centros de compras. É uma loucura! Por lá, os comerciantes disponibilizam as pontas de estoques e eletrônicos com versões ultrapassadas, com a finalidade de fazer caixa e renovar as compras de novos produtos e lançamentos, tendo em vista o Natal e o Ano Novo. Como gostamos de copiar os ianques, essa moda está pegando aqui no Brasil, no entanto, os comerciantes brasileiros estão dando um desconto muito tímido, bem pequenino, com a intenção de vender os restos de estoque e, de sobra, vender os novos lançamentos! Lembre-se de uma coisa: a margem de lucro em média gira em torno de 30% e, vendas com descontos dentro dentro desse percentual, deve-se ficar com o pé atrás - mesmo com descontos superiores para os produtos importados, eles ainda assim são muitos caros no Brasil. Segundo os especialistas, o comprador deve primeiro saber o quer comprar, depois, pesquisar o preço de mercado e, somente comprar se o desconto for vantajoso. Comprar no cartão sem ter condições de pagar, vai contribuir para aumentar o rombo no final do mês. Outra coisa: somente compre o que realmente vai precisar. Eu estou fora dessa moda, mas, caso o Bar Caldeira faça uma promoção da Brahma, estarei lá, com certeza!

O Marcelo Fu Korem, um grande amigo de copo lá do Caldeira e do Armando, teve uns tempos atrás em que estava bastante bronqueado com a “Dona Encrenca”– aprontava todas e, sempre chegava tarde da noite em casa. Certa vez, a madame resolveu “dar uma dura” no caboco. Fechou por dentro os portões, as portas, as janelas e a garagem, ligou o alarme e o ar condicionado, além de soltar os cachorros, com ordem de pegar qualquer um que se atravesse entrar, mesmo sendo o maridão! Pois bem, o bonitinho chegou de porre lá pelas tantas, tentava abrir as portas,mas, estavam com trava na parte interna! Gritou, gritou e, gritou feito louco, tudo em vão, pois a nega velha não dava à mínima! Tirou a camisa, resolvendo escalar uma grade de ferro para tentar arrombar uma janela do andar superior. Quando estava conseguindo entrar, chega a polícia do “Ronda nos Bairros”:
- Desce daí, negão! – grita o meganha, mirando uma arma de grosso calibre.
- Calma, estou entrando na minha própria casa! – responde aflito o Marcelão.
– Conta outra, sem camisa e subindo pelas paredes altas horas da madrugada, pode descer ou vais levar bala no couro! – o policial dá o ultimato.
Nessa confusão toda, enche de gente para todos os lados e a sua quase ex-mulher resolveu abrir outra janela.
Ai o Marcelão gritou:- Oi amorzinho, fala para os policias que você é minha mulher e que essa é nossa casa!
Ela respondeu: - Nem te conheço, nunca vi esse cara na minha vida! Policial, pode levar preso esse negão!
Depois dessa, o Marcelo ficou “bem pianhinho”, chegava cedo em casa e deixou por um bom tempo os amigos de copo! Foi um santo remédio para o Marcelo Fu Korem! Acho que ele já voltou a ativa novamente, pois dias desses ele me contou essa parada lá Bar Caldeira "Oficial"


A Prefeitura de Manaus (PMM) inaugurou no final de Outubro um bonito prédio de 900 metros quadrados, para atender urgência e emergência com o apoio integral do SAMU, a todos os frequentadores do Complexo Turístico Ponta Negra. No Posto Médico Avançado da Ponta Negra (PMA) abrigará também todos os setores da prefeitura que atuam de forma integrada no complexo, além do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.
Na minha juventude, sofri um acidente naquele balneário – ao dar um mergulho, bati com a minha cabeça numa imensa pedra que estava submersa – fui levada de táxi até o centro da cidade, para pegar pontos no couro cabeludo – tive muita sorte, pois naquele tempo não existia nada na praia para atender as emergências, muito diferente dos dias de hoje. Foto: Rocha


Estou curtindo o face do Bar 5 Estrelas do meu amigo Charles Stones!g!
"G1 - Joaquim Santos Rodrigues, o "Seu Lunga", morreu por volta das 9 horas deste sábado (22) na cidade de Barbalha, no Cariri cearense. "Seu Lunga" tinha 87 anos e estava internado no Hospital São Vicente de Paulo há três dias, em Barbalha, por causa de um câncer de esôfago. O sepultamento será neste domingo(23) no Cemitério do Socorro, em Juazeiro do Norte. Comerciante, poeta e repentista ganhou fama no Nordeste pelos causos que citavam seu mau-humor.Perguntado pela repórter se o cometário era verdadeiro, ele respondeu: “Tudo no mundo tem jeito. O que não tem jeito é esse bando de desocupado que fica inventando estória e fazendo pergunta imbecil”. "O senhor é popular na cidade", pergunta o repórter? "Não. É que eu não gosto de pergunta imbecil e o povo gosta de fazer pergunta imbecil. Tem de pensar antes de falar. Eu não tenho esse jeito de falar bobagem e de ouvir besteira". A entrevista continua: "O senhor vende tudo aqui, não é, “Seu Lunga”?". O comerciante reponde de pronto: "Não. O mundo não tem tudo, como é que você quer que eu venda tudo aqui na minha mercearia?"
Sobre os políticos, “Seu Lunga” também tinha opinião formada é não era das melhores. “No nosso Brasil tá faltando homem de fibra, de caráter, homem que faça as coisas de maneira honesta. Esse povo que está aí no poder, mandando, é de fazer vergonha”.



Prado (Hipódromo) Amazonense – No início do 1906 foi fundada, em Manaus, uma sociedade anônima com o nome de Prado Amazonense, para a prática do turfe (corrida de cavalos) – ficava nas proximidades do Reservatório do Mocó, na Vila Municipal. A pista de desenvolvimento era de 1 quilometro e largura de 12 metros.
Tempos depois, o local foi transformado em estádio de futebol “Parque Amazonense”, no Beco do Macedo – foi fechado e abandonado, restando somente o portão principal.



PRAIA DA LUA
Que tempo bom. 
Que não volta nunca mais... Lilico
Você é luz, é raio estrela e luar,
Manhã de sol, meu iaiá, meu ioiô
Você é sim, e nunca meu não, Wando
É muita água, mano! Praia da Lua.

GALERIA DOS REMÉDIOS – Ontem, resolvi conhecer a Galeria dos Remédios, um prédio situada na Rua Miranda Leão, onde abriga centenas de ex camelôs - depois de muitos anos voltei aquele lugar, pois fui funcionário do Sr. James Arnaud, sócio da Mavel Veículos e da Importadora Souza Arnaud. Na qualidade de Presidente da Associação dos Funcionários do Souza Arnaud (ARSA), editava naquele local um jornalzinho denominado “Circulando”. Tempos bons! Pois bem, a intenção era conhecer o último andar, onde é possível ter uma bela visão da conhecida “Beira do Mercadão” e, tirar fotografias para vocês! Depois, fui até o Mercadão, onde bati um papo com alguns amigos de infância, o Tico (segurança) e o Manoelzinho (permissionário), em seguida, devorei um jaraqui frito com baião de dois, na barraca do Sassá. Foi muito bom!


Este lugar me trás boas lembranças, pois passava todo santo dia por lá na minha infância, depois, comecei a frequenta-lo na fase adulta, o imóvel pertencia ao Sr. Cruz, dono da fábrica Magistral, o bar foi tocado por muito tempo pela família do Carlos, um senhor que ainda hoje possui um boteco "pé sujo" na esquina da Avenida Joaquim Nabuco com a Rua Lauro Cavalcante - essa foto é da época quando o casal Afonso Toscano e Conceição Toscano administravam o bar "Casa da Sogra". Infelizmente, esse imóvel de 1919 foi demolido pela UNINORTE, para fazer um estacionamento!


FERIADO EM MANAUS - Hoje, tinha as seguintes opções: ficar em casa - visitar parentes - participar da feijoada na 14 ou encontrar com os amigos no Bar Caldeira - porém, resolvi trabalhar em pleno feriado municipal – sai cedo da manhã para o batente e, próximo ao meio-dia a missão estava quase cumprida, quando peguei um atalho pelo bairro Boas Novas (Cidade Nova), para pegar a Avenida das Torres, com a intenção de chegar rapidamente ao centro – eu estava numa pista dupla, pensando que estava na principal e, num cruzamento onde existe um supermercado Smart, passei bem devagar, mas vinha um carro na outra rua e, fui pego em cheio, sai meio atordoado e, fui ver a coisa preta – o outro carro era simplesmente um Cobalt do ano, outra coisa, a madame que estava dirigindo estava na preferencial! Depois, passei três horas em uma Delegacia de Polícia para fazer um BO, pois tinha gente bronqueada que não era brincadeira. Ainda bem que a outra parte possui seguro, mas, terei que negociar um valor que a seguradora cobra para poder cobrir os danos (não sai barato, não). O carro da madame vai para uma concessionária top,enquanto o meu vai para o Zé "O Rei da Lanternagem"! Quem manda trabalhar no feriado! Eu, hein!
Postar um comentário