segunda-feira, 20 de outubro de 2014

PIRARUCU


É um dos maiores peixes da Amazônia, chegando a medir até três metros de comprimento e 250 quilos, possui uma cabeça achatada e ossificada, com um corpo alongado e escamoso - o seu nome “peixe  vermelho” vem do tupi (pira = peixe e Urucum= vermelho), por possuir uma parte avermelhada em seu corpo.

Ele possui dois sistemas respiratórias, as brânquias,  para respiração aquáticas e a bexiga natatória, funcionando como pulmão - esse último é muito utilizado na seca dos rios, o que o torna muito vulnerável, pois precisa ir até superfície para respirar, quando é morto pelos pescadores.

Se reproduzem durante as cheias dos rios – um papel interessante do macho é o de cuidar da prole durante seis meses e, nas primeiras semanas, os filhotes ficam próximos a cabeça do pai que os mantém próximos a superfície, facilitando o exercício da respiração aérea – os pescadores aproveitam para arpoa-lo, ficando os pequenos “bodecos” propícios a captura por predadores naturais como as piranhas.

O defeso pelo IBAMA (proibição da pesca, armazenamento e comercialização) cessou em junho passado – esse período é muito importante para a reprodução da espécie, ficando liberados somente aqueles criados em viveiros.

Possui um valor econômico muito grande, pois tudo é aproveitado:

A sua carne é deliciosa, conhecido por alguns como o “Bacalhau da Amazônia”, pode ser consumida fresca, salgada e seca – um dos pratos famosos em Manaus é o “Pirarucu de Casaca”.

As suas escamas funcionam como uma armadura contra as piranhas, pois os seus dentes quebram antes de atingir a carne do peixe – elas são utilizadas pelos caboclos para lixar as suas unhas, além de servir para confeccionar artesanatos, vendidos nas feiras e mercados de Manaus.

A língua por ser puro osso, cheia de dentículos e muito áspero, são utilizadas pelos índios saterê-mawé para ralar o guaraná em bastão,  além da mandioca e até madeiras.

O sua pele é muito utilizada na confecção de bolsas, sapatos e vestuários. Ainda são aproveitados os ovos na alimentação e o bucho para cola.

É isso ai.


Foto: Rocha
Postar um comentário