segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O GATO DO LARGO DE SÃO SEBASTIÃO


Bem cedinho da manhã, numa segunda-feira, deixei em seu colégio, a minha netinha; comprei um jornal sensacionista e, fui lê-lo no Largo de São de Sebastião, próximo a Banca do Largo, do meu amigo Joaquim do Tacacá na Bossa - folheei a gazeta diária, tudo normal, para o início de uma semana igual a todas as outras bossas.
Um miado triste, vindo de um gato perdido, talvez abandonado pelo seu dono, tirou a minha atenção do noticiário pervertido.
O bichano estava deslocado, num mundo que não era o seu, ele estava sem beira nem eira e, resolveu se aboletar, exatamente no lugar onde eu estava sentado.
O cara estava detonado, sujo e faminto, mesmo assim, o caboco chegava próximas as pessoas que estavam sentadas, talvez pedindo alimento com o seu miado.
Era sempre empurrado e, até chutado por alguns - não fiz nada, apenas olhava, pelo ângulo das pessoas sensíveis, de imaginação inspiradora e sonhadora.
Fiquei a observar aquela cena inusitada, para poucos e, comum para muitos, pois um gato de rua, tanto faz, como tanto fez!
O lance é o seguinte: os animais ditos “irracionais” estão perdendo o seu espaço no nosso planetinha Terra, sobrando apenas lugar para os conhecidos como racionais: o bicho homem!     
Dias depois, fiz tudo novamente: levei a netinha ao colégio, comprei um matutino de vinte e cinco centavos, sentei no mesmo banco, na mesma praça e, comecei a folhear as páginas do diário, sem preocupação com o tempo e com o espaço.
De repente, o felídeo apareceu do nada, todo faceirão e bonitão, acho que tomou banho forçado das chuvas que começam a acontecer em nossa cidade depois do verão.
Ficava esfregando-se em todo mundo e, pasmem, os frequentadores do Largo começaram a aceitá-lo, numa boa, o gato gaiato!
Ele estava limpíssimo, com uma belíssima pelagem branca, com destaque para os seus olhos bicolor - acho que estava bem alimentado dos restos de filés de peixes de uma peixaria que fica no
Largo, afinal, o bichano é agora considerado no pedaço – ele é o gato do Largo de São Sebastião.

Esta postagem é em homenagem as minhas amigas, Conceição Toscano e Jumara Whitaker, duas pessoas que criam e gostam muita de gatos. É isso ai.
Postar um comentário