terça-feira, 24 de junho de 2014

FESTA JUNINA EM MANAUS DE OUTRORA


A nossa cidade era pequena, porém, transbordava no cultivo das suas tradições, sendo o mês de junho toda especial, onde existiam comemorações praticamente em todas as ruas, com danças de quadrilha, boi de pano, fogueiras, comidas típicas e forró até o dia amanhecer, com o ápice nos dias de Santo Antônio, João e Pedro, além do Festival Folclórico do General Osório que era prestigiado por toda a cidade.

As ruas ficavam enfeitadas com bandeirolas e balões, as pessoas se vestiam com camisas quadriculadas, chapéu de palha e costuravam as calças e saias com remendos de pano de cor diferente, tudo para dar um clima todo especial de roça.

Em frente das casas os donos faziam as suas fogueiras, colocavam músicas da época, com a molecada pulando a fogueira e os mais velhos fazendo adivinhações.

Um fato curioso era um ritual do “batismo de fogueira”, na qual os pais passavam a se tratar de compadre e os filhos tomavam benção dos padrinhos por toda a vida.

As famílias mais abastadas contratavam as danças para se apresentarem em frentes de suas casas, sendo o Boi de Pano o mais esperado de todos, pois o som da batucada era envolvente, além do bonito bailado do boi e a algazarra do Pai Francisco e da Mãe Catirina.

O Pau de Sebo era a atração para os jovens, pois a recompensa para quem alcançasse o topo era uma boa grana – eles se reversavam em equipes, fazendo de tudo para tirar o sebo escorregadio, conseguindo o objetivo maior lá pela madrugada.

As crianças gostavam de soltar “estrelinhas” e “pum de velha” – os jovens soltavam bombinhas e os considerados “mau elemento” adoravam infernizar os outros com os temíveis “catolés”.

Era uma festa bonita, animada e farta, com o congraçamento das famílias das ruas, onde todos se davam as mãos, dividindo as tarefas e se cotizando para os comes e bebes.

A procissão de São Pedro era um espetáculo a parte, com os barcos enfeitadas, lotados de fiéis, todos em romaria pelo nosso Rio Negro, com a participação em peso da população, tanto nos barcos ou em terra, geralmente ficavam apreciando a movimentação no cais do Rodoway.

O nosso Festival Folclórico do General Osório era demais! Contavam com dezenas de danças, com ênfase nos Bois de Pano. O local era mágico. 


Esta postagem foi feita em decorrência de visto, hoje,  somente um fogueira na minha cidade e, bateu uma saudade danada daqueles tempos bons, onde a véspera de São João era um dia todo especial, com festas em todas as ruas. É isso ai.
Postar um comentário