sexta-feira, 20 de abril de 2012

CASTELINHO DA VILA MUNICIPAL



Está situado na Rua São Luiz, na antiga Vila Municipal (atual Adrianópolis), construído em 1906, num terreno de 5.500 metros quadrados, pelo então prefeito municipal de Manaus, o Coronel Adolpho Guilherme de Miranda Lisboa - recebeu, inicialmente, o nome de Vila Alcida, em homenagem a filha do referido alcaide

O imóvel foi edificado no período áureo da borracha (1880-1914), numa época em que o dinheiro corria solto pelos quatros cantos da cidade - segundo os historiadores, foram utilizados ferros fundidos em sua fundação e ornamentos, fabricados pela firma Walter MacFariane, de Glasgow (Escócia).


Passado mais de um século da sua construção, permanece intacto a sua estrutura e fachada - resistiu à fúria destruidora dos homens insensíveis e das construtoras sedentas por novos empreendimentos.

Mistério, muito mistério – poucos sabem quem realmente é o proprietário atual, comenta-se na cidade que o imóvel pertenceu a família Biasi, sendo vendido tempo atrás aos donos das lojas Top Internacional.  

Poucas pessoas tiveram o privilegio em conhecer o interior daquele chalet - da minha parte, nunca vi os seus portões abertos e, muito menos uma viva alma na parte superior, pois os seus muros são altíssimos, não permitindo aos pobres mortais a visualização das suas áreas comuns.

Ao longo dos anos serviu de objeto de desejo para muitas pessoas de posses, em decorrência de estar situado num lugar nobre de Manaus e, por ser o castelinho mais imponente da cidade – podemos encontrar outros - com um situado na esquina das ruas Barroso e 24 de Maio e outro conhecido como “Cervejaria Miranda Corrêa”, no bairro de Aparecida.

É um imóvel particular e, acredito que não esteja sendo utilizado como moradia para os atuais proprietários. Uma boa ideia seria uma parceria com a Secretaria Estadual de Cultura do Amazonas, para abrir as portas do Castelinho para eventos culturais, tais como, exposições de obras dos nossos artistas plásticos, fotografias antigas de Manaus e encenação de teatro infantil, dentre outras – seria uma oportunidade ímpar para o povo visitar este lugar tão bonito e desejado. É isso ai. 

4 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

caríssimno Rocha, o meu avô, homem da época da borracha, milionário que perdeu tudo - e que não conheci - morou uns temposa no palacete ao lado, o que tinho um arco... não sei se ainda está lá... mas ficou feliz em saber que o castelinho andfa sobrevive... na praça da Saudade há dois palacetes extraordinários, nas duas esquinas do lado oposto ao Rio Negro. Quando eu era menino morava por ali o meu professor Mario Ypiranga Monteiro.

Anônimo disse...

Quando o Sr. Biase adquiriu "O Castelinho" fez sua restauração trazendo técnicos da Itália, como as colunas sociais dos jornais noticiaram na época.

Rodrigo Leal disse...

Caríssimo Rocha, creio que esse é o Castelinho que é a vinícola da Top Internacional não é mesmo?

Maria das Graças Dias Araujo disse...

Olá Rocha
Passei muitas vezes em frente a esse Castelinho, quando ainda morava aí em Manaus. Realmente parece que há um mistério envolvento esse lugar. Sempre tive curiosidade de saber quem morava lá , porém nunca vi ninguém, estava sempre fechado. Quanto a sua idéia, achei ótima.