segunda-feira, 15 de junho de 2015

HISTÓRIA DO BAR CALDEIRA (resumida).


O estabelecimento foi fundado em 1963, por um casal de origem lusitana, com o nome de “Bar Nossa Senhora dos Milagres”, em homenagem a uma santa de madeira que foi encontrada boiando no mar, no século XVI, na Ilha do Corvo, em Açores (Portugal). O boteco ficou famoso, tornando-se um reduto de políticos, empresários, funcionários públicos, poetas, músicos, escritores e trabalhadores do centro de Manaus. Em 14 de Janeiro de 1970 houve uma explosão da caldeira do Hospital da Santa Casa de Misericórdia e, por um milagre, nenhum frequentador foi atingindo pelos destroços. A partir dessa data, o bar passou a ser conhecido em toda Manaus, como Bar Caldeira. Com a aposentadoria dos antigos administradores, a nova administração institui o aniversário do Bar Caldeira, em 14 de Janeiro; contratou músicos e cantores amazonenses para se apresentarem de terça a sábado, ficando o domingo com “a prata da casa” - elaborou também uma vasta programação de eventos durante todo o ano; buscou preservar a “alma” do bar, tornando-o mais atraente e humano; fez a “Calçada da Fama”, com placas homenageando os ilustres cantores que ali passaram: Silvio Caldas, Jairzinho, Vinicius de Moraes, Jamelão e Kátia Maria (a primeira mulher a frequentar o Bar) - alugou também um casarão antigo que fica ao lado Bar Caldeira, dotado de banheiros masculinos e femininos, cozinha certificada onde são preparados tira-gostos e comidas “self service” e espaço climatizado para eventos musicais, culturais e encontros da “velha guarda”. O Bar Caldeira por ter recebido a ilustre visita do cantor, compositor e poeta Vinicius de Moraes, onde deixou um bilhete e várias fotografias para a posterioridade, passou a ser conhecido pelos mais jovens e pelos cariocas que visitam ou moram na cidade de Manaus, como “O Bar do Vinicius de Moraes em Manaus”.
J. Martins Rocha
Postar um comentário