domingo, 29 de março de 2015

UM CORAÇÃO INDECISO


Tempos passados, ouvi um causo popular (uma história verídica e inventada, de forma divertida, com o objetivo lúdico) contado pelo meu amigo, o cantor e compositor Afonso Toscano, sobre o violonista, compositor e professor Domingos Lima – versava sobre o amor que ele tinha por duas mulheres e a compra de uma “assadeira de franco”, conhecida como “televisão de cachorro”, que deu a maior dor de cabeça ao professor.

O Domingos amava duas mulheres, uma era despida de encantos, porém, era mãe dos seus filhos queridos, a “Matriz”; a outra, era cheia de graça, luxo e beleza, a amante “Filial”.

Para quem não o conheceu, o professor fez o maior sucesso nas décadas de sessenta, setenta e oitenta - foi o primeiro a tocar as guitarras elétricas importadas, além de ser muito solicitado nos bailes da cidade, com a "Orquestra do Domingos" - ela era muito amigo do meu pai, o luthier Rochinha, pois o velho fabricava e consertava os violões do Domingos. 

Numa bela sexta-feira “caliente” de Manaus, o Domingos foi bater o ponto na casa da Filial, na “Cidade Alta” (bairro do Educandos) – uma morena “cor de jambo”, bonita e charmosa, deixava o negão gemer sem sentir dor e, tudo que ela pedia, o professor fazia sem pestanejar.

Ela fez um pequeno pedido:

- Amoreco, compra uma televisão de cachorro pra mim, pois estou farta de ficar no ócio, quero ganhar grana vendendo frango assado todos os finais de semana!

O professor nunca dizia não:

- Deixa comigo, meu docinho de coco, na segunda irei lá na loja S. Monteiro e fazei a compra no crediário.

A compra fora efetuada no carnê, com pagamento em vinte e quatro suaves prestações – a único pedido que ele fez foi que fosse entregue a mercadoria no endereço da Filial.

Na entrega, o ajudante de caminhão olhou a Nota Fiscal e disparou:

- O Domingos Lima é meu vizinho lá no Beco do Macedo, está errado o local da entrega, pois ele nunca morou no bairro de Educandos!

Ao retornar a casa da Matriz, avistou de longe a “televisão de cachorro” bem em frente da sua residência -ele tomou a maior susto, mas manteve a calma.

A Matriz foi logo detonando:

- Tu ficaste doido, homem, que coisa é essa, tem tanta coisa pra comprar e você gasta uma grana preta com um monstrengo desses!

 Ele foi rápido, saindo pela tangente:

- Mulher, eu quis fazer uma surpresa para você, comprei essa “TV de au-au” para você faturar os tubos, além de manter ocupado os nossos filhos maiores, vai ser uma boa para pra gente, bote fé!


A Matriz aceitou, mas disparou logo em seguida:

- Tá bom, mas tu tens que comprar os frangos, temperos, arroz, farinha, pratos de papelão e mais um monte de coisas.

Dias depois, deu um pulo até a residência da Filial, ao chegar, a gata foi logo disparando:

- Cadê a minha “televisão de cachorro”?

O coitado do Domingos contou toda a história para a mulher, mas ele não quis nem saber:

- Quero a minha, quem mandou ter duas mulheres! Dá o teu jeito!

O negão foi até a loja S. Monteiro, com a intenção de torcer o pescoço do gerente, pois com o erro na entrega, ele tinha que comprar outra para a Filial - o dito cujo tinha aquele papo de vendedor, conseguindo contornar a situação:

- Sêo Domingos, vamos fazer o seguinte: vou dar um bom desconto na compra de outra assadeira de frango, faço também em trinta e seis suaves prestações, o senhor paga uma e atrasa a outra, não cobrarei os juros e nem a correção monetária e, tem mais, levarei pessoalmente a mercadoria para não haver enganos na entrega.

Dias depois passa na casa da Filial, a assadeira estava lá, ele respirou aliviado, mas, a beldade foi logo dando o recado:

- Tem um detalhe que tu esqueceste: falta comprar os frangos, temperos, arroz, farinha, pratos de papelão e mais um monte de coisas.


Já pensou na situação do professor, desse jeito ele iria à falência, pois todo final de semana a compra era dobrada.

E assim foi por muito tempo, tanto que escreveu a música "Coração Indeciso", com o saudoso cantor Abílio Farias fazendo o maior sucesso em todo o Amazonas.

A letra era mais ou menos assim:

Julga-me, julga-me como quiseres
Eu amo a duas mulheres
Por elas fico a sofrer
Uma tem graça, luxo e beleza
Produtos da natureza
Coisas que a outra não tem
E a outra é despida de encantos
Mas mesmo assim gosto tanto
E ambas eu quero bem
Meu bom Jesus, um coração indeciso
Não sei da qual eu preciso
Para tornar-me feliz 

É isso ai.

Comentários Facebook:
Heloisa Maria Braga Cardoso da Silva Celito, no seu programa Clube da Música, na finada TV Educativa, entrevistou o Mestre Domingos. Entre outras belas composições, ele cantou o Coração Indeciso. Celito lhe perguntou se era verdadeiro esse sentimento por duas mulheres e o mestre respondeu que sim, que suas composições só tratavam de casos reais. Celito, curioso, quis saber com qual delas ele havia ficado. Ele deu uma risada gostosa e disse: "Com as duas, meu amigo, com as duas". Lembro-me bem de sua expressão matreira. Infelizmente toda a serie de programas, não só do Clube da Música, como todos os outros produzidos na década de 80, quando a TV E era a segunda em produção das TVs Educativas no Brasil, foram criminosamente jogados no .lixo por um superintendente irresponsável chamado Eduardo Brizzi. Documentários, programa infantil (A Turma do Tipiti, cuja canção de abertura era do Celito) e outras preciosidades foram descartadas por estarem gravadas em fita. Até hoje tenho uma enorme tristeza quando me lembro disso

Postar um comentário