sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

ESTRADA DO BARROSO


No início da Rua Barroso, entrando pela Largo de São Sebastião, um olhar mais atento verá duas placas indicativas de ruas, afixadas nos muros das duas primeiras casas, com os seguintes dizeres “RUA BARROSO – ANTIGO CAMINHO DO BARROSO”.

Mas, afinal, quem foi Barroso, a pessoa que deu o nome a essa importante e histórica Rua de Manaus?

José Antônio Barroso, paraense da cidade de Óbidos, veio para o Amazonas quando ainda era Província, adquiriu naquele trecho vários lotes de terra e, construiu a sua residência.

Naquele tempo, a cidade não era arruada, com o Igarapé do Espírito Santo tomando quase toda a extensão da atual Avenida Eduardo Ribeiro e ainda não existia o Teatro Amazonas e, como ponto de referencia, o povo chamava aquele lugar de “Estrada do Barroso”, em homenagem ao antigo morador.

A sua casa era de taipa, recebendo o numero 3, depois, 30 – com espaçosa sala de pau-a-pique e pisos de largos tijolos vermelhos – abrigou em seu teto vários personalidades do Império e da República.

Além do poeta Gonçalves Dias, foram hóspedes o Tenreiro Aranha, o Barão de Tefé, o Marechal Floriano Peixoto e o Marechal Thaumaturgo de Azevedo.


Quando a cidade começou a ser urbanizada, a família Barroso ainda morava ali e, de estrada passou para Rua Barroso, em homenagem a memória de quem primeiro ali se localizou.

A atual Rua Barroso, apesar da destruição de muitas edificações antigas, ainda restaram diversas casas belíssimas, um castelinho e a Biblioteca Pública do Amazonas. É isso ai.

Foto: Rocha
Fonte: Jornal A Crítica, edição de 1974.
Observação: O jornal (fonte primária) cita "Estrada do Barroso" e não "Caminho do Barroso"como está na placa indicativa.
Postar um comentário