domingo, 17 de fevereiro de 2013

MONUMENTO EM HOMENAGEM A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO





Ao passar pela nova Praça do Congresso, fico sempre a olhar um monumento em homenagem a nossa santa padroeira, com a lateral cheia de informações sobre os motivos da sua edificação – apesar de não ser historiador, faço esta postagem para tentar esclarecer um pouco mais sobre a construção daquele marco tão importante para a nossa cidade.


A Arquidiocese (administração geral das igrejas) de Manaus foi desmembrada da então Diocese de Belém do Pará e, por determinação do Papa Leão XIII (1810-1903), foi criada no dia 5 de Maio de 1892.

Para homenagear o Papa, foi colocada uma placa no monumento com os seguintes dizeres “Manaus de joelhos – diante de Leão XIII Papa dos operários e criador da Diocese”.


O primeiro Bispo da Diocese foi Dom José Lourenço da Costa Aguiar (1847-1905) - nasceu em Sobral, Ceará e, faleceu em Lisboa, Portugal, porém, foi sepultado em Manaus, na Catedral de Manaus – o jazigo fica no lado direito de quem entra pela porta principal.

No monumento foi feita uma justa homenagem ao primeiro Bispo “Manaus agradecida – ao seu 1º Bispo – Dom José Lourenço de Aguiar – O organizador da Diocese”.

Cincoenta anos depois, para comemorar aquele importante acontecimento, foi realizada naquela praça um congresso da igreja católica – numa das faces do monumento está a seguinte dedicação “Para lembrar aos pósteros o 1º Congresso Eucarístico Diocesano de Manaus – comemorativo do cincoentenário da criação do Bispado – A Prefeitura Municipal de Manaus ergueu, sob as bênçãos do povo, este marco – à Nossa Senhora da Conceição, padroeira do Amazonas – 5-5-1892 / 4-6-1942.



Com relação a nossa padroeira “A devoção a Nossa Senhora da Conceição data do início da igreja católica e a tradição foi trazida para o Amazonas no século XVII pelos carmelitas, que construíram a primeira igreja da região no local onde hoje está situada a Matriz. Talvez por isso, ela  tenha se transformado na padroeira do Estado”, conta o pároco da Matriz, José Albuquerque.



Este foi um dos maiores eventos da igreja católica de Manaus, realizado entre 31 de Maio e 4 de Julho de 1942, com a participação do alto clero nacional e da região norte – a praça que fora batizada de Praça Antônio Bittencourt, passou a ser conhecida, até hoje, como Praça do Congresso.


Naquele ano (1942), por coincidência de data, as autoridades aproveitaram o evento e a construção do monumento, para homenagear o descobridor do nosso querido e glorioso Rio Negro – numa das placas consta o seguinte “Em preito de gratidão a Dom Francisco de Orellana e aos seus companheiros – no quarto centenário do descobrimento do Rio Negro – as administrações do Estado do Amazonas e da Prefeitura de Manaus mandaram construir  este monumento - 3-6-1542/3-6-1942”.

Acho que esclareci ou pouco mais. É isso ai

Fotografias em cores: Rocha
Postar um comentário