terça-feira, 21 de junho de 2011

NESTE ANO “EU VOU LEVANTAR A MINHA BANDEIRA”.

Para quem é do ramo, ou seja, aquela pessoa que mora ou conhece o Amazonas, sabe muito bem o significado do nome do meu texto, pois, ele foi tirado da letra de uma conhecida toada (música) do Boi Caprichoso de Parintins “Eu vou levantar a minha bandeira/E cair na brincadeira/E ninguém vai me segurar”. O pessoal do Boi Garantido também ajudou “Neste ano eu vou pra minha ilha meu amor/Vou de canoa, a pé, de bubuia, no leme da embarcação/Vou até de asa dura”. Pois é, mano velho do peito - estou pensando seriamente em ir a Partintins. Quase tudo está remando a favor, estou de férias, com um pouco de “din-din" nos bolsos e, liberação total da “Dona Encrenca”; somente o que pode dar “capim na palheta” é o estado de saúde da minha caboquinha Maria Eduarda, mas, ainda tenho tempo até quinta-feira para decidir, inclusive, estive hoje na “Manaus Moderna”, local de atracação dos barcos que partirão para Parintins, com a sua grande maioria saindo amanhã; consegui fazer uma reserva para o “Barco Catamarã Rondônia”, com saída às quatro horas da tarde de quinta-feira, este barco é todo de ferro, oferecendo mais conforto e segurança, itens não muito levados à sério pelos proprietários dos barcos regionais, feitos, na grande maioria, de madeira. Todos os barcos estão tendo uma fiscalização muito rígida por parte da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental, os militares estarão com postos de fiscalização em Manaus, Itacoatiara e Parintins, além de contarem com navios, lanchas e até helicópteros da Marinha do Brasil. Quem não se adequar, vai dançar embaixo do boi! A viagem dura a noite toda, ao som de forró/brega/boi, além de muita gelada no gogó; bem cedo da manhã será servido um café regional. Depois, vale à pena ficar contemplando a nossa Amazônia, com 98% das nossas florestas preservadas, além do majestoso Rio Amazonas, o maior rio do planeta Terra. O comandante do barco vai mandar colocar na velocidade máxima, pois, eles não vão querer servir o almoço para a “cobocada”, com a previsão da chegada em Parintins para antes do meio-dia. Pela dimensão do barco, ele ficará ancorado no novo Porto de Parintins, recentemente reformado, o Ministro dos Transportes Alfredo Nascimento injetou a bagatela de R$ 9,3 milhões para aumentar a sua capacidade de atracação e elevação do piso, pois a estrutura anterior foi para o fundo na grande enchente de 2009, os parintinenses chamavam de “Porto de Submarino”, é mole! Se não der certo a minha ida, ficarei na saudade, quem sabe no próximo ano, o jeito será assistir a transmissão pela TV Bandeirantes. Caso positivo, serão três dias na ilha, com inúmeras opções de lazer durante o dia, não irei dispensar andar de triciclo e moto-taxi, detonar várias “caldeirada de Bodó”, visitar a Catedral de Nossa Senhora do Carmo (para ela interceder na cura da Maria Eduarda), frequentar os Curais dos Bois Caprichoso e Garantido, passear de barco no Lago Macurany, tirar fotos da beleza dos prédios antigos e, apreciar a beleza das cunhãs-porangas (as mulheres mais bonitas) da cidade. À noite, ficarei na galera do Caprichoso e, vou levantar a minha bandeira azul e branca do meu boi do coração. Eu, hein!
Postar um comentário