segunda-feira, 13 de junho de 2011

CIDADE DE CODÓ

O município de Codó fica na parte leste do Maranhão, a cidade é cortada pela BR-316 e pela linha ferroviária que liga São Luiz-Teresina, foi um grande produtor de algodão no Brasil colonial, tendo como característica arquitetônica seus casarões e armazéns antigos; o carnaval é a sua principal festa, muito animado e sem violência; as pessoas que nascem nesta cidade são chamadas de codoenses.

A nossa cidade de Manaus recebe de braços abertos todos os codoenses, existe aqui uma colônia muito grande de maranhenses, por sinal, recebi das mãos do meu amigo Rony de Souza Meneses (codoense e empresário do ramo de embalagens plásticas) um exemplar da “Folha Popular”, um informativo de Codó, editado pelo Jonas Filho.

Neste informativo existe uma coluna do Professor Carlos Gomes (membro fundador do Instituto Histórico e Geográfico de Codó – IHGC), ele escreve sobre a história da cidade e, na edição de 07/15 de maio de 2011 descreve sobre os codoenses famosos. Vamos conhecê-los:

Alcenor Duallibe Garcia (Alex Brasil) - Nascido a 28 de dezembro de 1954, no povoado Santo Dumont (Saco). Jornalista e Radialista pela Universidade Federal do Maranhão. Autor de várias obras publicadas, dentre elas: Planeta Vermelho, Idade do Ouro, O Sonho Deve Continuar. Escritor Modernista, participativo dos problemas sociais que afetam à população brasileira. É membro da Academia Maranhense de Letras, ocupante da Cadeira no. 30, que tem como Patrono Teixeira Mendes.

Ambrósio Amorim - Nasceu no interior de Codó, em 1922, descendente de família humilde. Artista plástico, sua primeira exposição aconteceu em 1946, no seguinte, participou do II Salão Arthur Marinho e, em 1950 é agraciado com a Menção Honrosa do I Salão da Sociedade de Cultura Artística do Maranhão. Criador da logomarca do Guaraná Jesus. Patrono da cadeira no. 1 do IHGC. Faleceu em 2003, aos 81 anos de idade.

Clodomir Teixeira Millet – Nasceu em 17 de agosto de 1913. Médico e político. Foi Deputado Federal pelo PSP em 1950 e Senador da República em 1966, pela ARENA.

Manoel Felício Pinto – Nasceu em 1896, no sitio Brandão. Magistrado, escritor e poeta. Bacharel em Direito, pela Faculdade de Manaus (1918). Exerceu a magistratura no Amazonas, Maranhão e Piauí. Escreveu “Frutos Verdes e Floresta Lírica”, “Jardim de Flores” e outros.

Filomena Catarina Moreira – Nasceu em 25 de novembro de 1896. Primeira professora normalista a atuar profissionalmente, dirigiu o Grupo Escolar Colares Moreira.

O melhor governador que já tivemos em todos os tempos, chama-se Eduardo Ribeiro, um maranhense que deu toda a sua inteligência e garra para o progresso da cidade de Manaus e do Amazonas - seremos eternamente gratos a ele e aos maranhenses. É isso.
Postar um comentário