terça-feira, 20 de outubro de 2009

COLÉGIO DOM BOSCO DE MANAUS



Os salesianos chegaram à cidade Manaus em 24 de julho de 1924, foram convidados pelo bispo Dom Irineu Joffily, tinham como missão principal iniciar as atividades do Colégio Dom Bosco, o primeiro diretor foi o Pe. Pedro Ghislandi. As instalações eram precárias, funcionava o curso primário no Prédio Episcopal. Em 1927, o colégio passava por graves dificuldades financeiras, com a ajuda das famílias tradicionais, foi possível construir o antigo prédio do colégio com a sua majestosa fachada ao lado da Av. Epaminondas.


Com o novo prédio, foi aberto o Curso Ginasial, nos turnos matutino e vespertino, para atender aos alunos da classe média da cidade, e, na parte da noite, atendia aos alunos pobres, filhos dos operários – graças a essa gratuidade, o meu saudoso pai conseguiu se alfabetizar e estudar matemática e língua portuguesa no colégio, com a supervisão do padre Agostinho (famoso pela bondade e carinho que dispensava aos alunos pobres da nossa cidade e do interior), inclusive existia um internato próprio para os meninos do interior que desejavam aprimorar os seus estudos.


Em plena guerra mundial, o colégio instalou o Curso Cientifico e de Técnicos em Contabilidade. Em 1971, com muita pressão dos pais, foram permitidos a matricula das primeiras alunas no colégio, além da abertura do Pré-Escolar. Em 1985, o antigo prédio foi reformado, com novos ambientes; depois construíram uma igreja moderna e acolhedora, para atender a comunidade, aos alunos, ex-alunos e suas famílias.


O colégio é mantido pela Inspetoria Salesiana Missionária da Amazônia, conta atualmente com cursos de educação infantil, fundamental e médio, com laboratórios de informática, bibliotecas e um complexo cultural-esportivo, além abrigar a Faculdade Salesiana Dom Bosco.


O colégio me traz boas recordações: no final da década de 80, o meu filho Alexandre estudou por lá - eu tinha uma missão espinhosa: fui escalado para buscar o menino toda final de tarde de quinta e sexta-feira, uma forma que a minha esposa encontrou para me controlar: casa/trabalho/colégio/casa, mas algumas vezes dava para dar uns pulos lá no Caldera Bar, ninguém é de ferro! O Alex Soares é hoje um pequeno empresário do ramo alimentício. Em 2001 a minha filha Amanda estudou o curso médio, passei um sufoco para mantê-la no colégio! – hoje é a Dra. Amanda Costa, cirurgiã-dentista, formada pela UFAM. É isso ai! Salve o Colégio Dom Bosco! Salve!
Postar um comentário